05 Ago 2022 · 2 min read

Ações da Coinbase sobem 45% após parceria com a BlackRock

Em questão de horas, as ações da Coinbase subiram 45% e tudo aponta para sua associação com a BlackRock como responsável. Durante a sessão de hoje, a notícia correu o mundo: a gigante financeira americana BlackRock, com o objetivo de “aproximar o bitcoin de seus clientes” ingressou na exchange Coinbase, gerando grandes expectativas no setor.

E embora nos números o primeiro beneficiário pareça ser a Coinbase, que hoje está sujeita a uma investigação da SEC (United States Securities and Exchange Commission), a união implica a abertura do mercado financeiro tradicional, representado pela BlackRock, ao criptoativos em geral.

Com foco no bitcoin, Joseph Chalom, chefe global de parcerias estratégicas para o ecossistema da BlackRock, disse em um comunicado:

“Nossos clientes institucionais estão cada vez mais interessados ​​na exposição aos mercados de ativos digitais e estão focados em como gerenciar com eficiência o ciclo de vida operacional desses ativos.

Por sua vez, Brett Tejpaul, chefe da Institutional Coinbase e também Greg Tusar, vice-presidente de produto, afirmaram:

“Estamos comprometidos em impulsionar o setor e criar novos hotspots à medida que a adoção institucional de criptomoedas continua a acelerar rapidamente. Este é um marco emocionante para a nossa empresa.”

Esta associação pode ser considerada um marco pelo volume de negócios das empresas associadas, pela sua experiência e prestígio. Mas fundamentalmente aponta o caminho para as empresas financeiras tradicionais adotarem os ativos digitais.

Apesar do valor do Bitcoin ter caído pela metade até agora este ano e da Coinbase estar sob investigação, acusada de negociar ativos digitais que deveriam ter sido registrados como títulos, a indústria é, no mínimo, resiliente. A BlackRock entendeu que a união permitirá que o mercado escale e se expanda. Serviços de negociação, custódia, corretagem de primeira linha e recursos de relatórios estarão disponíveis em breve para os clientes de ambas as empresas.

A BlackRock, fundada e liderada por Laurence Fink, é uma empresa americana de gestão de investimentos. Ativo desde 1988, possui, em janeiro de 2022, US$ 10 trilhões de ativos sob sua gestão. Sua sede fica em Manhattan, Nova York, mas tem escritórios em Londres, Sydney, Hong Kong, Frankfurt, Milão, Dubai, São Francisco, Paris, Pequim, Bombaim, Zurique, Madri, Moscou, Cidade do México e São Paulo.

A Coinbase Inc. é uma exchange com sede em San Francisco, Califórnia, que oferece serviços de câmbio de criptomoedas e moedas fiduciárias em mais de 30 países. É também um sistema de pagamento, armazenamento e gestão de ativos digitais em 190 países. Foi lançado em 2012 e atualmente possui 43 milhões de usuários registrados em todo o mundo.

------------

Leia mais:

Justin Sun e Poloniex planejam criar um hard fork PoW Ethereum

Nomad anuncia recompensa multimilionária por 'chapéus brancos'

 

---------------------