Ark Invest abandona parceria com 21Shares para proposta de fundo ETF Ethereum

Gabriel Gomes
| 3 min read

ETF Ethereum

A Ark Investment Management de Cathie Wood retirou seu envolvimento na corrida para lançar um fundo negociado em corretora (ETF) que investiria diretamente em Ether, a segunda maior criptomoeda.

O documento do prospecto alterado é conhecido como Formulário S-1. Ele foi arquivado na Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC) na sexta-feira, revelando que o nome da Ark acabou removido do pedido do ETF de Ether à vista, o qual havia sido apresentado em parceria com a 21Shares.

Consequentemente, o nome do fundo acabou alterado, saindo de Ark 21Shares Ethereum ETF e passando para 21Shares Core Ethereum ETF.

Ark continua comprometida com o fundo de Bitcoin


A mudança ocorre depois que Ark uniu forças com a 21Shares. A parceria, aliás, a colocou como um dos emissores de sucesso que lançou ETFs de Bitcoin à vista no início deste ano.

Apesar da retirada do ETF Ethereum, a Ark continua comprometida com seu ETF Bitcoin, o ETF ARK 21Shares Bitcoin (ticker ARKB). Aliás, o fundo atualmente ocupa a quarta posição em termos de ativos entre os ETFs Bitcoin, com um valor de US$ 3,2 bilhões sob gestão.

A aprovação inesperada pela SEC dos registros 19b-4 feitos pelas corretoras operadas pela Cboe Global Markets Inc., Nasdaq e pela Bolsa de Valores de Nova York para listar ETFs de Ether à vista criou expectativa no mercado.

No entanto, os emitentes ainda aguardam a aprovação do regulador das suas declarações S-1 antes de a negociação poder começar.

Em resposta aos desenvolvimentos recentes, a 21Shares, por sua vez expressou entusiasmo com a aprovação da SEC. Além disso, reafirmou o seu compromisso em aumentar o acesso às criptomoedas como uma classe de ativos para investidores dos EUA.

Eles também destacaram sua parceria contínua com a Ark no ETF ARK 21Shares Bitcoin, que foi lançado em janeiro, bem como sua linha existente de produtos futuros.

Notavelmente, o ETF Bitcoin da empresa de Wood experimentou sua maior saída em um dia desde seu lançamento no início deste ano. Isso porque quase US$ 100 milhões saíram do fundo.

Outras gestoras revisam pedidos de ETF Ethereum


Vários outros emissores, incluindo Franklin Templeton, Fidelity Investments, VanEck e Invesco Ltd., apresentaram declarações S-1 revisadas, sinalizando suas intenções de lançar ETFs Ether. No entanto, a decisão da SEC sobre estes documentos ainda não foi determinada.

Enquanto isso, a Franklin Templeton apresentou um documento alterado com detalhes de seu fundo proposto. Nele, a gestora indica uma taxa planejada de 0,19%, que será dispensada durante os primeiros seis meses sobre os primeiros US$ 10,0 bilhões dos ativos do ETF.

A aprovação do ETF Ethereum foi política


O analista de ETF da Bloomberg, James Seyffart, acredita que a aprovação de ETFs Ethereum à vista provavelmente se desenvolveu sob influencia de decisões políticas. Ou seja, não se deu por considerações puramente financeiras, como deveria ter sido.

Em uma entrevista recente, Seyffart sugeriu que o clima político, incluindo as ações da administração Biden e as respostas da comunidade cripto, desempenhou um papel significativo para a aprovação.

Além do Bitcoin e do Ethereum, a aprovação de outros ETFs cripto, incluindo Solana, é improvável sem mudanças regulatórias significativas, disse Seyffart.

Ele observou que se faz necessário um mercado regulamentado para monitorizar estes ativos em busca de fraude e manipulação.

Em contraste, o investidor e trader de cripto Brian Kelly sugeriu que a Solana poderia potencialmente se tornar a próxima criptomoeda a ter um ETF à vista nos Estados Unidos.

Num episódio recente do programa ‘Fast Money’ da CNBC, Kelly, que também é fundador e CEO do BKCM Digital Asset Fund, colocou a hipótese: “A questão agora é: quem será o próximo?” Ele então sugeriu:

“Você precisa pensar em Solana como provavelmente o próximo. Bitcoin, Ethereum e Solana são provavelmente os três grandes deste ciclo.”

Leia Mais: