Atual cenário do mercado cripto pode ser otimista, e especialista aponta os motivos

Killian A.
| 4 min read

Há pouco, um economista afirmou estar esperançoso quanto ao atual cenário do mercado de criptomoedas. O analista de mercado, ligado ao banco BTG Pactual, percebeu as chances de que, em breve, o mercado esteja mais receptivo para as criptomoedas e ativos digitais como o Bitcoin. Existem alguns motivos para que isso ocorra. Principalmente uma mudança de cenário, inclusive econômico.

A análise foi divulgada justamente em um momento em que o mercado está cauteloso. Houve grande expectativa em torno do halving do Bitcoin e também da aprovação dos ETFs de criptomoedas. A expectativa era de que os preços teriam uma grande alta com tais eventos. No entanto, o preço do BTC decepcionou um pouco.

No momento, o preço do token apresenta oscilação. Mesmo com uma baixa de quase 2% nas últimas 24 horas, há uma tendência de recuperação no preço do BTC. Com isso, há chances de que todo o mercado volte a registrar tendência de crescimento.

Ações do governo norte-americano podem ser boas para o mercado


Lucas Josa, especialista de mercado ligado ao banco BTG Pactual, fez uma análise de cenário recente. Para ele, as ações envolvendo o Federal Reserve (FED), que equivale ao Banco Central no Brasil, têm um papel importante na dinâmica de mercado. Isso porque as decisões do órgão impactam diretamente a economia.

Recentemente, o FED fez uma atualização da taxa de juros geral do mercado. Isso fez com que houvesse um aumento da crise econômica e da instabilidade nos Estados Unidos. Os juros determinam os valores de uma série de itens necessários, como os aluguéis, por exemplo. Com o aumento do custo de vida, há uma maior cautela na hora de investir.

No entanto, essa instabilidade diminui a confiança no governo e no mercado de investimentos centralizados. Com isso, há grandes chances de que ativos alternativos sejam considerados uma boa opção na hora de investir. Ou seja, as criptomoedas podem ocupar um lugar de destaque.

Além disso, Josa cita que o mercado de trabalho norte-americano também pode ser um fator de movimento no mercado. Os níveis de emprego nos Estados Unidos estão bastante abaixo das últimas médias. Em situações anteriores com dados semelhantes, houve um impulso do mercado de ativos digitais. Isso porque os investidores de varejo, aqueles que investem em menor quantidade, tendem a arriscar mais e apostar mais em investimentos.

O preço do BTC deve ditar o ritmo de crescimento do mercado


Os efeitos da instabilidade econômica são sentidos primeiro no preço do Bitcoin. Isso porque, por ter o maior valor de comércio e também de capitalização, o BTC acaba sendo um indicador de crescimento ou retração do mercado em geral. Embora as altcoins estejam em crescimento e estejam sendo adotadas cada vez mais pelos investidores, o Bitcoin deve seguir ditando o ritmo de crescimento do setor.

Isso pôde ser visto na última dinâmica ocasionado pelo halving. O evento aconteceu no mês de abril, mas o movimento de preço do token já havia começado muito antes. Isso porque houve um aumento da expectativa com relação ao aumento de preço do token. Muitos especialistas acreditavam que, por ter o fornecimento reduzido, o token teria mais procura. Essa projeção baseada na lei da oferta e da demanda acabou não se confirmando. No entanto, quando o token teve um aumento de preço no período que antecedeu o halving, todo o mercado acabou sendo impulsionado junto.

Isso mostra que mesmo que o mercado esteja sujeito às mudanças determinadas pelo governo, o indicativo de crescimento ou queda ainda será o Bitcoin e a sua dinâmica de preços.

Movimento de aumento do preço do Bitcoin está apontando para uma reação do mercado


Ainda segundo o especialista Lucas Josa, os registros do desempenho do BTC apontam para uma recuperação. Logo após o halving, o preço do token acabou indo para índices mais baixos. Especialmente em razão da cautela envolvendo o evento. Os investidores estavam receosos com o futuro do ativo, especialmente devido à redução da circulação. Portanto, neste período, o nível de resistência de preço ficou na casa dos US$ 59 mil.

Passado o período de maior insegurança dos investidores, houve um movimento de alta bastante forte. Esse movimento acabou levando o BTC a firmar níveis de preços mais altos, na casa dos US$ 65 mil. Com isso, um sentimento de confiança voltou a brilhar no mercado, indicando uma melhora na adoção dos tokens.

Portanto, para Josa, agora é possível vislumbrar um cenário um pouco mais otimista. No entanto, é necessário acompanhar as novas atualizações dos eventos que podem ser determinantes, como a política monetária dos Estados Unidos, por exemplo.

As moedas de menor capitalização e ETFs também devem ter aumento de procura


A primeira referência do mercado de criptomoedas é o Bitcoin, é nele que a grande parte dos investidores pensa quando busca um ativo para investir. No entanto, o mercado não se resume ao BTC e existem outras alternativas de investimento, as quais podem ser tão rentáveis quanto o token. As chamadas altcoins têm menor valor e menor capitalização de mercado, mas não deixam de ser um bom investimento. Grande parte desses ativos, inclusive, pode ser usada para diversificar a carteira dos investidores e garantir um maior rendimento de investimentos.

Os ETFs de Bitcoin também devem ganhar impulso juntamente com o Bitcoin. Assim que lançados, os ativos tiveram uma grande procura, especialmente após a longa espera pela liberação de comercialização pela SEC. No entanto, houve uma baixa na procura por efeito da instabilidade pré e pós halving do Bitcoin. Com o atual cenário mais otimista, há grandes chances de que os ETFs voltem a ter maior adesão, contribuindo mais uma vez para o crescimento do mercado em geral.

Leia mais: