23 Nov 2022 · 3 min read

Binance agora detém quase 600.000 Bitcoins no valor de US$ 9,6 bilhões – o maior detentor de BTC do mundo?

Fonte: AdobeStock / Iryna Budanova

O Bitcoin é a maior e mais conceituada criptomoeda do mundo, e a mais famosa também. Tanto que é a maior em termos de valor. Por isso, vários investidores com muito capital e boas condições de investimento buscam ter muito Bitcoin em carteira. O mesmo acontece com grandes exchanges como a Binance, por exemplo. 

O saldo de Bitcoin da Binance, a maior bolsa de criptomoedas do mundo, aumentou significativamente no mês passado após o colapso da FTX, com um total de participações agora próximo a 600.000 BTC. 

De acordo com dados da plataforma de análise cripto Coinglass, a Binance pode deter atualmente mais de 575.000 moedas BTC, tendo adicionado mais de 137.011 moedas na semana passada e um total de 67.347 moedas BTC no mês passado. 

Com o Bitcoin atualmente pairando em torno da marca de US$ 16.000, a reserva de BTC da Binance vale mais de US$ 9 bilhões. O recente aumento no estoque de BTC da Binance ocorre enquanto a confiança do consumidor em outras exchanges menores continua a diminuir, após a queda sem precedentes do FTX. 

Coinbase Pro, Bitfinex, Gemini e Kraken são os quatro próximos maiores detentores de Bitcoin da lista, logo depois da Binance, de acordo com a Coinglass. Conforme os dados levantados, cada uma das exchanges têm respectivamente 528.900, 345.597, 153.212 e 70.622 moedas. Entre as cinco principais exchanges, a Binance é a única com um fluxo líquido positivo de Bitcoin na semana passada. 

Lembrando que a Binance é a maior exchange de criptomoedas do mundo em termos de volume de negociação. A exchange tem ultimamente aparecido nas notícias, principalmente devido ao seu envolvimento parcial na saga FTX. Inicialmente, a exchange assinou um acordo não vinculativo para adquirir a problemática FTX, mas desistiu do negócio um dia depois. Além disso, o CEO da Binance levantou a possibilidade de fazer um fundo de apoio às exchanges com dificuldades, como ocorreu com a FTX. 

O que é comprovante de reservas e por que as exchanges precisam compartilhá-lo?

O notável colapso da FTX, que já foi a terceira maior exchange de criptomoedas que colapsou e teve problemas com resgate de criptomoedas durante a recente baixa do mercado cripto, levou muitos na indústria de criptomoedas a expressarem preocupação com a confiabilidade das exchanges centralizadas de ativos digitais.

Em uma tentativa de lidar com esse ceticismo, os executivos de criptomoedas começaram a compartilhar provas de reservas. A prova de reservas usa Merkle Trees para capturar dados e obter um conjunto de registros que permitem aos usuários verificar se seus fundos foram devidamente auditados por terceiros.

Nos últimos dias, algumas das maiores exchanges de criptomoedas compartilharam seus comprovantes de reservas, revelando quanto e quais criptomoedas eles armazenam em nome de seus clientes. A Binance foi uma das primeiras a fazê-lo, logo em seguida fizeram a divulgação da prova também a Crypto.com, Bybit e Huobi.

No entanto, conforme relatos recentes,  a empresa de investimento em cripto Grayscale se recusou a compartilhar sua prova de reservas, citando "preocupações de segurança". O anúncio foi feito em uma publicação recente no Twitter, onde a empresa disse que a principal exchange de criptomoedas Coinbase, que é usada pela Grayscale como custodiante, frequentemente realiza "validação na cadeia".

No entanto, a mudança gerou especulações sobre a saúde financeira da Grayscale. Essa preocupação foi levantada por diversos usuários em redes sociais, que afirmaram não estar preocupados com a solvência da exchange até a fatídica declaração no Twitter. Afinal de contas, se a empresa tem fundo de reserva, deveria divulgá-lo e deixar o pessoal mais tranquilo com relação a isso. 

---------------------