Binance faz treinamento de segurança com Ministério da Justiça

| 4 min read

Binance recupera US$ 4,35 bilhões de erros em depósitos

A Binance realizou um treinamento de segurança com criptomoedas para cerca de 80 participantes das autoridades de aplicação da lei brasileiras. A empresa é a maior provedora mundial de infraestrutura para o ecossistema blockchain e para a área de criptoativos.

O evento visou ajudar no aumento do conhecimento sobre a tecnologia, abordando questões práticas das investigações sobre criptomoedas. Além disso, buscou fortalecer o diálogo com as autoridades e ampliar a parceria com agentes do setor público para o combate de atividades ilícitas no setor.

O curso faz parte de um programa global da empresa, lançado em 2022. Em 2023, a equipe de Inteligência e Investigação da exchange realizou mais de 60 treinamentos presenciais para autoridades de todo o mundo, somente no primeiro trimestre.

Além disso, em setembro de 2023, a Binance já havia conduzido um treinamento para investigadores e delegados da Polícia Civil de Goiás.

Evento com a Binance reuniu PF, MP, Coaf e mais


O treinamento teve uma abordagem teórica e prática. Ele aconteceu em Brasília, com a participação de investigadores do Centro de Operações de Criptomoedas (NOC) do Laboratório de Operações Cibernéticas (CiberLab) do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP).

Além disso, participaram membros do Ministério Público de todo o país. Também houve a presença da Polícia Federal, da Receita Federal e do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) de todos os estados.De acordo com a secretária nacional de Segurança Pública substituta, Camila Pintarelli:

“Esse treinamento promove modernização para a atuação das investigações da segurança pública, que se torna mais complexa tal qual a complexidade social aumenta. A importância desse evento consiste em compartilhar conhecimento, competências e promover o diálogo em torno do tema de cibersegurança, que demanda estratégias novas de enfrentamento por parte do poder público.”

Quem também se pronunciou sobre o curso foi Rodney da Silva, diretor de Operações Integradas e de Inteligência do Ministério da Justiça:

“Em um mundo cada vez mais digitalizado, onde as transações financeiras transcendem as fronteiras físicas, o combate ao crime exige ferramentas e conhecimentos atualizados. Nesse contexto, o treinamento sobre criptomoedas realizado em parceria com a SENASP (Secretaria Nacional de Segurança Pública) e a Binance surge como um marco fundamental na capacitação de policiais civis, membros do Ministério Público e outros órgãos de investigação.”

Especialistas destacam a importância da cooperação


O treinamento teve a presença de Jarek Jakubcek, chefe de treinamento para agentes de aplicação da lei da Binance.

Jarek é um dos principais especialistas internacionais em crimes cibernéticos. Além disso, atuou no Centro de Crimes Cibernéticos da Europol (EC3), cobrindo investigações de criptomoedas e desenvolvendo projetos de educação em criptomoedas para a entidade.

Aliás, o especialista destacou a importância da cooperação entre os setores público e privado para prevenir e combater atividades criminosas no universo dos criptoativos. Também afirmou que:

“A Binance vem oferecendo diversas ferramentas para contribuir com esse trabalho colaborativo no Brasil e no mundo. As autoridades brasileiras têm mostrado um nível crescente de especialização e um grande interesse em se aprofundar na tecnologia blockchain e criptomoedas, e treinamentos como esse sempre se mostram oportunidades para uma rica troca de conhecimento entre os dois lados.”

Renato Bastos, especialista em investigações da Binance nas Américas, também ministrou o curso. Ele foi funcionário do Ministério Público do Rio de Janeiro e é referência na área de investigações de criptoativos no Brasil. Por isso, também destacou a parceria entre os setores públicos e privados:

“As parcerias entre os setores público e privado são fundamentais na repressão a atos ilícitos envolvendo ativos virtuais e eventos como esse em Brasília reforçam significativamente a colaboração entre os setores, para o benefício da sociedade. O modelo de trabalho do NOC nessa área é um dos mais eficazes e deve ser usado como referência para outros países.”

Binance colabora com autoridades de todo o mundo


A Binance vem se destacando no trabalho colaborativo com as autoridades para ajudar na investigação de crimes cibernéticos envolvendo criptomoedas.

Segundo a exchange, ela já atendeu mais de 100 mil solicitações nos últimos dois anos, ajudando a identificar milhares de agentes mal-intencionados. Além disso, ela auxiliou na apreensão de bilhões de dólares em ativos.

Por exemplo, mais recentemente, a empresa ajudou as autoridades argentinasa recuperar mais de US$ 170 mil. Na operação, também foram presos 20 membros de uma organização de crimes cibernéticos. Esta organização havia infectado computadores corporativos, escolares e públicos para tirar dinheiro das contas das empresas e instituições.

A Binance já realizou workshops e treinamentos semelhantes para investigadores de diversos órgãos de segurança. Por exemplo, houve eventos com a Polícia Federal em Brasília, a Polícia Civil de Pernambuco, bem como promotores e investigadores do Ministério Público dos estados do Rio de Janeiro e São Paulo.  Ademais, a empresa participou do Congresso Internacional de Direitos Humanos da Polícia Federal, realizado em Maceió, em 2022.

Segundo a exchange, essa colaboração com os órgãos de investigação e justiça do país faz parte dos esforços da Binance em expandir o conhecimento sobre a indústria do blockchain e o universo das criptomoedas. Além disso, visa contribuir com o fortalecimento das ações de prevenção, investigação e combate a irregularidades financeiras envolvendo criptoativos.

Leia mais: