Bitcoin cai para faixa de US$ 57 mil no feriado e todo o mercado cripto acompanha

Pedro Augusto
| 2 min read

Bitcoin cai para faixa de US$ 57 mil no feriado e todo o mercado cripto acompanha

À medida que se aproxima a próxima reunião do Federal Reserve, o Banco Central dos EUA, o pessimismo dos investidores teve um impacto significativo no Bitcoin e no Ethereum.

Na manhã desta quarta-feira (01/05), o Bitcoin registrava uma queda de 5,8% e o Ethereum caía 4,1% nas últimas 24 horas. O preço do Bitcoin atualmente oscila em torno de US$ 57 mil, enquanto o Ethereum está com o preço estabilizado em quase US$ 2.890, conforme os dados coletados pelo CoinGecko.

Traders que apostavam na alta do Bitcoin se deram mal


A volatilidade tem criado um cenário desafiador para os traders de derivativos. Nas últimas 24 horas, foram liquidados US$ 457 milhões em posições futuras de criptomoedas, segundo dados da CoinGlass. Desse total, US$ 392 milhões correspondem a posições que apostavam na valorização dos ativos.

Os traders que operam com contratos futuros basicamente especulam sobre o movimento futuro dos preços. Apostar na alta de um ativo significa prever que seu preço aumentará, enquanto apostar na baixa indica uma expectativa de queda no preço.

Além disso, a queda nos preços não se limitou apenas às criptomoedas mais consolidadas, como Bitcoin e Ethereum. A retração foi generalizada em todo o mercado de criptoativos. De fato, das 100 principais criptomoedas por capitalização de mercado listadas no CoinGecko, apenas uma minoria conseguiu se esquivar da onda de desvalorização, excluindo-se as stablecoins como USDT e USDC, que mantiveram sua paridade.

bitcoin
Tabela mostrando variação negativa das principais criptomoedas nas últimas 24h.
Fonte: CoinGecko

Inflação acima do esperado nos EUA atrapalha o corte de taxas pelo Fed


O Comitê Federal de Mercado Aberto dos EUA anunciará sua decisão sobre as taxas de juros hoje às 15h, horário de Brasília, e será seguido por uma coletiva de imprensa do presidente do Fed, Jerome Powell, às 15h30.

Investidores estavam convencidos, desde fevereiro, de que maio seria o mês em que o FOMC cortaria finalmente as taxas de juros. Em suma, este movimento geralmente é positivo para ativos de maior risco, como o Bitcoin. A redução das taxas de juros tende a desencorajar o investimento em títulos do Tesouro dos EUA, levando os traders a buscar maiores retornos em ativos mais voláteis, como ações e criptomoedas.

Atualmente, a taxa de juros-chave do Fed está entre 5,25% e 5,5%, mantendo-se inalterada desde julho de 2023 enquanto o banco central luta para controlar a inflação. Os responsáveis pela política monetária têm monitorado de perto a inflação, que está em 3,5%, com o objetivo de reduzi-la para 2% antes de considerar quaisquer cortes nas taxas. No entanto, essa meta parece cada vez mais distante, já que a inflação subiu para o maior nível desde setembro no último mês.

Corte do Banco Central da Suíça não influenciou outros bancos centrais

Em março, houve um breve momento de otimismo quando o Banco Central da Suíça anunciou um corte nas taxas de juros, justificando que a inflação havia caído novamente para abaixo de 2%, valor que o banco considera como um indicativo de estabilidade de preços. No entanto, essa mudança de postura do banco suíço não parece ter influenciado outros grandes bancos centrais.

Há um mês, a expectativa era de que o Fed pudesse reduzir as taxas de juros em junho, conforme indicado pela ferramenta CME Fed Watch. No entanto, o otimismo se esvaiu e agora os traders não esperam uma redução nas taxas de juros até dezembro, e mesmo assim, apenas 75% acreditam que isso possa acontecer.

Leia mais: