Bitcoin recupera valor de US$ 63 mil, mas inflação nos EUA pode redefinir rumo

Pedro Augusto
| 2 min read

Bitcoin recupera valor de US$ 62 mil, mas inflação nos EUA pode definir novo rumo

O Bitcoin (BTC) registrou alta nesta segunda-feira (13/05) e alcançou novamente a marca de US$ 63 mil, mantendo a oscilação entre US$ 56 mil e US$ 65 mil que persiste desde 25 de abril. Entretanto, um evento que pode alterar essa dinâmica nesta semana é a divulgação, na quarta-feira (15/05), do Índice de Preços ao Consumidor (CPI) dos Estados Unidos para o mês de abril.

Caso os números mostrem que a inflação americana está se aproximando da meta de 2%, isso pode injetar otimismo no mercado de renda variável. Por outro lado, uma inflação persistente poderá pressionar para baixo os preços dos ativos.

ETFs de Bitcoin Spot voltam a ter resgates


Na última sexta-feira (10/05), os fundos negociados em bolsa (ETFs) de Bitcoin à vista nas bolsas americanas registraram um saldo líquido negativo de US$ 84,7 milhões. Essa movimentação foi influenciada principalmente pelo resgate significativo de fundos do GBTC, um trust convertido em ETF pela Grayscale. Nele, observou-se saques superando os depósitos em cerca de US$ 103 milhões.

Por volta das 9h45, horário de Brasília, o Bitcoin apresentava uma valorização de 2,6% nas últimas 24 horas, negociado a US$ 62.705. Já o Ether, a moeda digital da rede Ethereum, valorizava 1,2%, alcançando US$ 2.966, segundo dados do CoinGecko. O valor de mercado combinado de todas as criptomoedas ao redor do mundo alcançava US$ 2,42 trilhões. Em termos de real, o Bitcoin teve uma alta de 1,68%, cotado a R$ 323.358, e o Ether registrou um incremento de 0,46%, com valor de R$ 15.285, de acordo com informações fornecidas pelo Mercado Bitcoin.

No universo das altcoins, a Solana (SOL) apresentava um leve aumento de 0,4%, cotada a US$ 145,95. Já o BNB, token da Binance Smart Chain, mostrou uma pequena variação positiva de 0,1%, a US$ 594,33. Por fim, a Avalanche (AVAX) sofria uma queda de 1,4%, negociada a US$ 33,26.

Notícias relevantes no mundo no mercado de criptos


Na China, a polícia desmantelou uma operação ilegal de criptomoedas que manipulou cerca de US$ 296 milhões. A operação usava contas domésticas para receber e transferir fundos, aproveitando-se das características transnacionais do setor para efetuar a troca entre o yuan e o won sul-coreano. Desde setembro de 2021, todas as transações com criptomoedas são consideradas ilegais na China, onde o mercado de cripto está proibido.

No âmbito financeiro, o site Coindesk reportou uma declaração de Alex Kuptsikevich, trader da FxPro, que prevê um possível pânico no mercado de Bitcoin se o valor da criptomoeda cair abaixo dos US$ 60 mil nos próximos dias. Segundo Kuptsikevich, os traders aguardam uma alta para além dos US$ 65 mil para retomarem o otimismo em relação à criptomoeda mais valorizada do mercado.

Por outro lado, André Franco, chefe de análise do MB, informou que o Wells Fargo, terceiro maior banco dos Estados Unidos em termos de ativos, está investindo em ETFs de Bitcoin. Confirmou-se essa informação por dados recentes divulgados pela Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC).

 

Leia mais: