26 Mai 2022 · 2 min read

Bitcoin subvalorizado, criptomoedas agora estão melhor que imóveis - JPMorgan

O banco de investimento de Wall Street JPMorgan diz que os ativos digitais agora substituíram os imóveis como sua “classe de ativos alternativos preferidos” e considera US$ 38.000 um preço justo para o bitcoin (BTC).

De acordo com o banco, os ativos digitais são agora a melhor classe de ativos alternativa para investir, juntamente com os fundos de hedge, segundo vários relatos. Ele disse que a ampla venda de ativos de risco este ano prejudicou os ativos digitais mais do que outros ativos alternativos, incluindo private equity, imóveis e dívida privada.

Como resultado, os estrategistas disseram que poderia haver mais espaço para a criptomoeda subir em comparação com os ativos tradicionais. “Assim, substituímos imóveis por ativos digitais como nossa classe de ativos alternativos preferida, juntamente com fundos de hedge”, escreveram os estrategistas do JPMorgan.

Ativos alternativos geralmente se referem a todos os ativos de investimento que não são ações, títulos ou dinheiro.

A nota acrescentou que outras classes de ativos alternativos, como imóveis, podem em breve ser atingidas por “refixação desfasada”. No entanto, as chances de isso acontecer no mercado de ativos digitais são menores, pois esse mercado já passou pelo que parece uma “capitulação”.

A nota disse ainda que o bitcoin parece subvalorizado no momento e que US$ 38.000 é um preço justo para a criptomoeda número um.

O preço-alvo de US$ 38.000 que o JPMorgan tem para o bitcoin representa uma vantagem de cerca de 30% em relação ao preço atual de US$ 29.250 (às 08:30 UTC).

Em fevereiro, quando o BTC foi negociado acima de US$ 40.000, o banco também disse que o valor justo do BTC está em torno de US$ 38.000.

Agora, os estrategistas do JPMorgan também observaram que é “crucial” para os criptoativos em geral que o capital de risco (VC) continue a fluir para o espaço. Acrescentou que há poucos sinais de que o financiamento está secando, apesar do recente colapso do Terra (LUNA).

“Até agora, há poucas evidências de que o financiamento de VC tenha se esgotado após o colapso do Terra. Dos US$ 25 bilhões de financiamento de VC no ano, quase US$ 4 bilhões vieram depois do Terra. Nosso melhor palpite é que o financiamento de capital de risco continuará e um longo inverno semelhante a 2018/2019 seria evitado”, disse a nota.

A nota foi escrita por um grupo de estrategistas de investimentos do banco, incluindo Nikolaos Panigirtzoglou. O mesmo estrategista disse anteriormente sobre o bitcoin que ele tem potencial em um ambiente inflacionário, já que alguns investidores podem considerá-lo um hedge de inflação melhor do que o ouro.
____
Leia Mais:

Nova geração de investidores de criptomoedas assume a responsabilidade, diz investidor de tecnologia

2 em cada 10 pessoas em El Salvador ainda usam a aplicação Chivo Bitcoin do governo - Pesquisa