Coreia do Sul é pressionada a seguir o exemplo dos EUA em ETFs de cripto

Pedro Augusto
| 2 min read

coreia do sul

A recente aprovação nos Estados Unidos de ETFs de Ethereum pelo órgão regulador SEC intensificou as pressões sobre os reguladores financeiros da Coreia do Sul para autorizarem fundos semelhantes de criptoativos.

A decisão inesperada da última semana, que marcou uma reversão significativa no mercado americano, contrasta com a postura mais cautelosa adotada até então. Antes dessa aprovação, a expectativa era de que esses ETFs fossem rejeitados, pelo menos em maio. Segundo reportagem do “The Korea Times” na segunda-feira, a Comissão de Serviços Financeiros (FSC) e o Serviço de Supervisão Financeira (FSS) da Coreia do Sul mostram-se reservados em permitir que criptoativos sejam negociados no mercado de valores mobiliários tradicional.

O FSC justificou sua hesitação citando a Lei de Mercados de Capitais. Esta lei restringe ETFs aos ativos subjacentes tradicionalmente reconhecidos como reais e financeiros, como moedas internacionais ou commodities.

Jung Eui-jung, líder da Aliança dos Acionistas Coreanos, defendeu que as autoridades sul-coreanas sigam o exemplo dos Estados Unidos e aprovem ETFs de Bitcoin e Ethereum. Ele acredita que essa medida é crucial para evitar que investidores, tanto do mercado financeiro tradicional quanto de ativos digitais, deixem a Coreia.

Jung questionou:

“Quem gostaria de investir seu dinheiro em um mercado que está atrasado em relação à rápida evolução do cenário regulatório?”

Órgão regulador financeiro da Coreia do Sul adia decisão sobre ETFs de criptomoedas


Investidores de criptomoedas na Coreia do Sul atualmente não têm a opção de negociar ETFs de Bitcoin e Ethereum no mercado à vista. Além disso, em janeiro, as autoridades financeiras descartaram qualquer expectativa de regulamentações que permitiriam a venda de ETFs de futuros de Bitcoin em um futuro próximo.

Em março, Lee Bok-hyun, governador do Serviço de Supervisão Financeira da Coreia do Sul, reconheceu o debate interno sobre ativos virtuais. Embora pessoalmente tenha uma visão positiva sobre o assunto, ele mencionou que outros membros da agência são mais cautelosos. Sobretudo, Lee enfatizou a importância de considerar todos os pontos de vista e promover discussões abertas antes de tomar qualquer decisão.

“Entre as autoridades, sou um dos que veem os ativos virtuais positivamente, enquanto há outros que são cautelosos, e precisamos ouvir também as opiniões deles. Estamos discutindo isso internamente,” afirmou ele.

Partidos coreanos competem por eleitores cripto


Em uma reviravolta surpreendente, o robusto mercado de criptomoedas da Coreia do Sul tornou-se um tema central na preparação para as eleições parlamentares do país em abril. Ambos os principais partidos políticos viram uma oportunidade de conquistar eleitores com promessas voltadas para o universo cripto.

O Partido do Poder Popular, do presidente Yoon Suk Yeol, reconheceu a crescente influência da indústria cripto e prometeu adiar a implementação de um imposto sobre ativos digitais. Esta é uma medida que provavelmente encontrará apoio entre os investidores de criptomoedas.

Por outro lado, o Partido Democrático de oposição concentrou-se em flexibilizar as restrições sobre ETFs, incluindo aqueles que permitiriam investimentos em produtos de Bitcoin dos EUA. Por fim, essa estratégia visa atrair eleitores que buscam acesso mais fácil aos investimentos em criptomoedas.

Leia Mais: