`
. 3 min read

Denunciante afirma que o Twitter mentiu sobre bots para Elon Musk

Source: AdobeStock / Ascannio

 

O ex-chefe de segurança do Twitter denunciou a plataforma de mídia social, alegando que a empresa tem grandes falhas em suas práticas de segurança e que enganou o governo dos EUA e Elon Musk sobre sua vulnerabilidade.

Peiter Zatko, que atuou como chefe de segurança do Twitter até janeiro, apresentou uma queixa de denunciante à Federal Trade Commission, à Securities and Exchange Commission e ao Departamento de Justiça. Uma cópia redigida do documento de 84 páginas foi compartilhada pela CBS News.

A queixa de Zatko, que também é um famoso hacker conhecido como “Mudge”, afirma que a plataforma de mídia social tem “deficiências extremas e flagrantes” em segurança, privacidade e moderação de conteúdo. Ele também acusa os executivos do Twitter de mentir para os reguladores federais sobre a força de seu plano de segurança.

O documento também aborda a saga Elon Musk-Twitter, acusando a empresa de mídia social de “mentir sobre bots para Elon Musk”.

“Um exemplo recente de deturpação do Twitter diz respeito à tentativa de aquisição de alto perfil de Elon Musk desde abril de 2022”, disse a denúncia, observando que Musk expressou dúvidas sobre a precisão da afirmação do Twitter de que menos de 5% das contas são “bots”, enquanto o CEO Parag Agrawal negou esta alegação.

“O tweet de Agrawal era uma mentira. Na verdade, Agrawal sabe muito bem que os executivos do Twitter não são incentivados a “detectar” ou relatar com precisão o total de bots de spam na plataforma”, afirmando que,

“Musk está certo: os executivos do Twitter têm pouco ou nenhum incentivo pessoal para “detectar” ou medir com precisão a prevalência de bots de spam.”

Agrawal respondeu às acusações em um suposto e-mail enviado aos funcionários, que foi postado no Twitter pelo repórter da CNN Donie O’Sullivan.

Por aquela carta, 

“Estamos revisando as alegações editadas que foram publicadas, mas o que vimos até agora é uma narrativa falsa repleta de inconsistências e imprecisões e apresentada sem contexto importante”.

Conforme relatado, Musk declarou sua oferta de aquisição no Twitter em 14 de abril, oferecendo a compra de 100% das ações da empresa por US$ 54,20 por ação. Enquanto o conselho do Twitter estava inicialmente cético em relação ao acordo, a empresa concordou com a compra de US$ 44 bilhões depois que Musk confirmou um pacote de financiamento que incluía US$ 21 bilhões de seu próprio dinheiro.

No entanto, em meados de maio, Musk anunciou que estava colocando o acordo “em espera” até que ficasse claro que menos de 5% dos usuários diários da plataforma são falsos.

No início de julho, Musk anunciou oficialmente que estava desistindo do acordo, mas o Twitter processou o bilionário por violar o acordo, pedindo a um tribunal que ordenasse que o CEO da Tesla o concluísse. O processo será julgado em 17 de outubro por cinco dias.

____

Leia mais:

Javier Milei, parlamentar argentino e defensor do bitcoin (BTC), pode enfrentar a Justiça

Twitter diz que não deixará Elon Musk encerrar acordo

 

---------------------