Estudo mostra que os alemães aceitam bem o euro digital

Pedro Augusto
| 2 min read

Uma pesquisa realizada em 4 de junho revelou que os alemães estão receptivos à ideia de um euro digital, embora o estudo também tenha identificado lacunas significativas de conhecimento entre o público geral sobre esse método de pagamento alternativo proposto.

Essa deficiência de conhecimento destaca a necessidade de mais educação e conscientização.

50% dos respondentes estão abertos ao uso do “Euro Digital”


Uma pesquisa representativa com 2.012 pessoas, realizada pela Forsa, uma empresa de pesquisa de mercado e opinião, a pedido do Deutsche Bundesbank, revelou que 50% dos entrevistados estão abertos a usar o euro digital como uma opção adicional de pagamento.

A pesquisa indicou que mesmo aqueles anteriormente não familiarizados com o euro digital estavam abertos a esse novo meio de pagamento. No entanto, ela também destacou que apenas 41% dos entrevistados tinham encontrado informações sobre isso, enquanto a maioria (59%) permanecia desinformada.

Uma grande preocupação levantada pelos respondentes foi relacionada a questões de privacidade. Essa preocupação é semelhante aos problemas enfrentados pelo yuan digital da China (e-CNY), onde trabalhadores chineses convertem CBDC em dinheiro imediatamente após recebê-los.

euro digital

Mais de três quartos dos entrevistados consideram a proteção da privacidade como uma prioridade máxima no euro digital. Além disso, 59% enfatizaram a importância da versão planejada offline do mesmo, que visa oferecer proteção à privacidade semelhante ao dinheiro.

No entanto, a proteção da privacidade é um foco essencial na fase preparatória atual para a Moeda Digital do Banco Central da UE (CBDC), programada até outubro de 2025, quando o conselho governamental decidirá se continuará o projeto do euro com preparações adicionais.

O presidente do Deutsche Bundesbank, Joachim Nagel, declarou que o euro digital provavelmente chegará entre 2028 e 2029. Ele também tranquilizou os futuros usuários sobre a proteção da privacidade.

Ele afirmou, “Os bancos centrais do Eurosistema não têm interesse nos dados dos usuários. O euro digital protegeria a privacidade das pessoas muito melhor, muito mais eficazmente do que as soluções de pagamento comerciais atuais.”

Enquanto isso, muitos entrevistados (72%) acharam importante que o euro digital se baseie em uma infraestrutura europeia, garantindo independência de eventos políticos globais ou decisões.

15% dos participantes acreditam que o euro digital substituirá o dinheiro físico


Uma pesquisa realizada pela Deutsche Bundesbank revelou que alguns participantes que conheciam a CBDC tinham ideias equivocadas sobre sua aplicação. Cerca de 15% dos entrevistados acreditavam que o euro digital substituiria completamente o dinheiro físico, enquanto 12% pensavam que o dinheiro sairia gradualmente de circulação com a introdução dessa nova forma digital.

euro digital

Contudo, Burkhard Balz, membro do conselho executivo do banco central, esclareceu essas noções, enfatizando que o dinheiro físico é um produto “fundamental” dos bancos centrais do Eurosistema e que ele continuará em circulação.

É importante lembrar que o Banco Central Europeu (BCE) introduziu pela primeira vez o euro digital em julho de 2021. Seu objetivo era desenvolver um instrumento de pagamento eletrônico rápido e seguro que complementaria o euro em suas formas atuais, tanto em dinheiro físico quanto em contas bancárias.

Após dois anos de pesquisa detalhada sobre o design e os modelos de distribuição para o euro digital, o BCE avançou para a próxima fase em 18 de outubro de 2023, preparando-se para a emissão da moeda digital.

Leia Mais: