22 Set 2022 · 2 min read

Ethereum Merge é atrativo para os investidores institucionais?


A fusão do Ethereum, ocorrida em meados de setembro, pode ter sido o desenvolvimento mais significativo na história da rede Ethereum. Com a fusão, o protocolo Ethereum se tornou ainda mais eficiente, principalmente em termos de energia, tendo em vista a redução de cerca de 99,95% do consumo energético. Especialistas também acreditam que a fusão da rede trouxe melhorias na eficiência e na escalabilidade, além de conferir um aspecto deflacionário ao Ethereum, com uma emissão reduzida de tokens.

A transição da rede blockchain de uma Proof-of-Work (PoW) para um mecanismo de consenso de Proof-of-Stake (PoS) foi visto de forma positiva. A rede Ethereum já reduziu seu uso de energia nos patamares esperados, em 99,95%, de uma taxa de até 94 TWh por ano em maio, para meros 0,01 TWh em 16 de setembro.

Ethereum se torna atrativa para investidores de longo prazo

Investidores institucionais de fundos de pensão, companhias de seguro e fundações são importantes para o mercado. Isso porque estes tendem a ser investidores de longo prazo, já que não estão inclinados a negociar com base apenas em especulações ou a reagir de forma exagerada e imediata a ciclos de notícias 24 horas por dia. A ampla participação deste grupo de investidores poderia ajudar a resolver os persistentes problemas de liquidez e volatilidade do mercado de criptomoedas.

No entanto, há aqueles que acreditam que, embora a fusão ofereça às corporações e às grandes instituições financeiras uma plataforma mais ecológica, bem como novas oportunidades de investimento, ela ainda não resolve um dos problemas centrais do Ethereum, que é a sua falta de escalabilidade.

Merge ainda terá mais etapas no futuro

Apesar de a fusão ser um momento decisivo para a indústria cripto, o impacto para acelerar a adoção pelos investidores institucionais possivelmente vai levar mais tempo, já que o Ethereum não tem uma taxa melhor de TPS - transações por segundo. 

Além disso, a fusão da rede não aumenta o tamanho ou a velocidade da blockchain, que terá que esperar pela Surge, outra atualização do Ethereum que está programada para acontecer no ano de 2023 e que implementará uma solução de fragmentação que poderá aumentar drasticamente a velocidade da rede.

Ainda assim, resolver o problema do consumo de energia e reduzir as emissões de carbono são excelentes conquistas. A pegada de carbono do Ethereum, que já foi tão grande quanto a da Finlândia, agora se compara à das Ilhas Faroé, o que significa que uma única transação de Ethereum é agora equivalente à pegada de carbono de 44 transações de vistos ou 3 horas assistindo o Youtube.

---------------------