14 Mar 2022 · 2 min read

Goldman Sachs deixa a Rússia e deve aumentar foco em Criptomoedas

O grande banco de investimento Goldman Sachs está intensificando seu trabalho em criptomoedas, explorando se deve oferecer opções de cripto de balcão (OTC). A notícia veio quando a empresa disse que está deixando a Rússia, tornando-se o primeiro grande banco de Wall Street a fazê-lo após o início da guerra na Ucrânia.

A exploração de opções de criptomoedas pelo banco de investimento é uma indicação da participação cada vez maior do banco no mundo do comércio de criptomoedas. O banco é um dos poucos grandes bancos de investimento que estão procurando oferecer esses produtos de derivativos de criptomoedas, informou, citando fontes não reveladas. 

O produto que está sendo explorado no momento, as chamadas opções bilaterais, permitiriam que as negociações fossem personalizadas para detentores de criptomoedas institucionais, como fundos de hedge ou mineradores, por exemplo, para se proteger dos riscos, acrescentou o relatório.

A notícia do possível novo empreendimento em opções de criptomoedas vem depois que o chefe de negociação de criptomoedas do banco, Andrei Kazantsev, disse durante um painel organizado pela CoinDesk em dezembro do ano passado que “o próximo grande passo que estamos visualizando é o desenvolvimento de mercados de opções.”

Enquanto isso, também surgiram notícias hoje de que o principal banco de investimento está deixando a Rússia como resultado das sanções impostas ao país.

“O Goldman Sachs está encerrando seus negócios na Rússia em conformidade com os requisitos regulatórios e de licenciamento”, disse o banco de investimento em um e-mail enviado à Reuters.

O banco divulgou anteriormente que tem uma exposição de crédito à Rússia de US$ 650 milhões.

Logo após a notícia da saída do Goldman da Rússia, o JP Morgan, outro grande banco de investimento de Wall Street, anunciou que também está deixando o país.

O JP Morgan está "desfazendo ativamente os negócios russos", disse um comunicado da empresa nesta quinta-feira. O banco tem cerca de 160 funcionários em Moscou.

Enquanto isso, o Citigroup disse na quarta-feira desta semana que continua operando no país “em uma base mais limitada”. O banco há muito planeja vender sua franquia no país, mas os planos agora foram complicados por sanções, informou o Financial Times.

"Estamos ficando sem opções [...] fechar tudo pode ser nossa única opção", disse uma fonte não identificada que disse estar trabalhando para o Citigroup.
____
Leia Mais:

- EUA e Europa prometem impedir Russos de usar Criptomoedas para evitar Sanções

- Maiores Altas e Baixas desde o Início da Guerra na Ucrânia