03 Jun 2022 · 5 min read

Grandes carteiras deixam Anchor/UST enquanto "peixes" menores mantém investimentos

Fonte: AdobeStock / gritsalak

 

Um grande número de grandes investidores do ecossistema Terra (LUNA) abandonou suas posições quando seus terraUSD (UST) começaram a cair no último mês - com investidores de menor escala continuando a comprar à medida que o preço da moeda despencava, segundo informou o Jump Trading Group (via Jump Crypto).

A Jump Crypto emitiu um post-mortem sobre a remoção da stablecoin Terra, onde revisitou as descobertas da empresa de análise de blockchain Nansen, que apontou que “sete” carteiras – incluindo uma vinculada à Celsius Network (CEL) – podem ter desempenhado um papel importante quando a paridade do dólar foi perdida.

Sobre os “sete”, os autores do relatório escreveram:

“Eles realmente representam um rebaixamento rápido que foi espelhado de forma mais geral por outras carteiras grandes.”

Mas enquanto essas carteiras “de fato compreendiam grande parte da saída inicial”, elas eram na verdade apenas “parte de uma tendência muito mais ampla”, acrescentaram os autores.

O relatório também se concentrou no papel desempenhado pela Anchor, uma plataforma de poupança e empréstimo que operava no ecossistema Terra. Os autores do relatório, os pesquisadores da Jump, Nihar Shah e Maher Latif, observaram que alguns depositantes da UST parecem ter saído da Anchor nos primeiros dias de maio, enquanto alguns jogadores menores estavam comprando mais entre 7 e 9 de maio.

Os movimentos do UST parecem ter puxado a stablecoin para longe de sua melhor área de desempenho, explicaram os pesquisadores. 

No Twitter, a empresa acrescentou:

“As saídas da Anchor – particularmente durante a noite de 7 de maio e na manhã e no início da tarde de 9 de maio – colocaram uma pressão substancial no peg UST. Grandes depositantes conduziram de forma desproporcional suas saídas. De fato, pequenos depositantes aumentaram sua exposição durante este episódio.”

Os pesquisadores traçaram a gênese do incidente como “uma combinação de negociações no pool UST/3CRV durante uma janela de setenta e cinco minutos” em 7 de maio.

Eles acrescentaram que as negociações que envolviam “retirar a liquidez do UST” e “duas carteiras colocando grandes ordens de venda do UST” haviam “perturbado o equilíbrio e a profundidade do mercado”.

Os maiores depositantes podem reduzir quase 15% de suas posições UST na Anchor rapidamente, já que a paridade começou a cair em 6 de maio, observou o relatório – uma época em que os detentores de carteiras com menos de US $ 10.000 na Anchor estavam comprando mais.

Os pesquisadores analisam:

“O tamanho total da posição deles era uma ordem de magnitude menor do que o dos depositantes de médio e grande porte, e, portanto, esse aumento da exposição foi insuficiente para neutralizar os fluxos de saída”.

No caso dos depositantes de médio porte, classificados pelos autores como "carteiras com USD 10.000 a USD 1 milhão em depósitos Anchor", esses indivíduos em 6 de maio "fugiram rapidamente do protocolo, perdendo 5% de sua posição imediatamente e 30% nos primeiros três dias."

Além disso, a empresa afirmou que não acreditava que uma carteira “relativamente inativa” que cortou sua posição no UST em cerca de US$ 85 milhões em uma série de transações se vinculasse a um órgão de negociação profissional – alegando que seu histórico de transações não indicava que isso foi o caso.

Detetives do ambiente online alegaram que as ações deste titular da carteira podem ter servido como um catalisador para o colapso.

O presidente da Jump, Kanav Kariya, é membro do conselho administrativo da Terra. Mas o relatório não fez nenhuma menção às próprias conexões de Kariya ou da Jump com o protocolo blockchain.

Questões legais continuam 

Enquanto isso, a empresa por trás do Terra, a Terraform Labs, foi atingida por vários processos na Coréia do Sul. Embora a empresa tenha sido fundada em Cingapura, seus criadores são sul-coreanos e residem neste país – com muitos especialistas em mídia e repórteres alegando que o centro de gravidade da empresa permanece em Seul.

A Yonhap informou que um advogado que representa o braço jurídico Daegun visitou o escritório dos promotores do Distrito Sul de Seul para apresentar queixas contra o CEO da Terraform, Do Kwon, e o cofundador Shin Hyun-seong. O escritório acusa a dupla de fraude, bem como violação da Lei de Agravo de Instrumento etc. de Crimes Econômicos Específicos.

O advogado foi citado explicando que sua empresa representava 12 investidores e que o valor total dos danos incorridos era superior a US$ 800.000.

Outro processo foi aberto anteriormente - com alegações semelhantes - pelo escritório jurídico LKB & Partners, enquanto Cryptonews.com viu evidências de que outros casos também podem estar em andamento, com grupos de investidores de menor escala se reunindo em plataformas como o Naver Cafe e OpenChat do KakaoTalk antes de procurar aconselhamento jurídico.

____

Leia mais: 

Fundos Bitcoin veem entradas semanais enquanto analistas debatem 'rejeição'

Criptomoedas precisam deixar de depender de 'crescimento sem fim', Vitalik Buterin argumenta