Grandes corporações que você com certeza conhece e que adotam criptomoedas

Pedro Augusto
| 3 min read

criptomoedas

Nos primeiros anos do Bitcoin e outras criptomoedas, a ausência de um quadro regulatório claro dificultava que as corporações considerassem a adoção de ativos digitais. Governos e reguladores financeiros ao redor do mundo ainda estavam tentando entender como categorizar e controlar esses novos ativos digitais.

Essa ambiguidade criava riscos significativos para as empresas interessadas em explorar as criptomoedas, pois a não conformidade com as regulamentações emergentes poderia acarretar problemas legais, multas ou até acusações criminais.

Com o tempo, à medida que o ambiente regulatório amadurecia e medidas de segurança mais robustas eram desenvolvidas, as empresas começaram a reconhecer os benefícios potenciais da tecnologia blockchain e das criptomoedas.

Mais adiante, veremos várias grandes corporações que integraram estrategicamente criptomoedas e tecnologia blockchain em suas operações.

Microsoft


Em 2014, a Microsoft se tornou uma das pioneiras ao aceitar Bitcoin para conteúdos e serviços do Xbox, através de uma parceria com a Bitpay. Desde então, a empresa vem investindo em tecnologia blockchain, utilizando-a para aprimorar várias áreas de suas operações.

Seu serviço Azure Blockchain permite que empresas criem e gerenciem redes blockchain, simplificando processos complexos e melhorando a segurança. Além disso, revelou-se que os futuros produtos de hardware da Microsoft poderiam oferecer suporte aprimorado para carteiras criptos.

Goldman Sachs


Em 2018, o Goldman Sachs iniciou um marco no investimento institucional em criptoativos com o lançamento de sua mesa de negociação de criptomoedas. A iniciativa se expandiu, e atualmente o Goldman oferece uma variedade de produtos de investimento em criptoativos, incluindo futuros de Bitcoin e contratos a termo (non-deliverable forwards).

Em 2021, foi divulgado que o Goldman Sachs, junto com ICAP, JPMorgan e UBS, adquiriu o primeiro produto negociado em bolsa (ETP) na Europa que oferecia exposição à criptomoeda DOT da Polkadot.

Mastercard


A gigante dos pagamentos Mastercard formou várias parcerias com plataformas de criptomoedas para emitir cartões cripto. Dessa forma, ela permitiu que usuários gastem suas criptomoedas em milhões de comerciantes ao redor do mundo.

A empresa também está explorando a integração de carteiras cripto em seus serviços e facilitando a monetização de ativos em jogos na plataforma como o Xbox. Em janeiro do ano passado, a Mastercard fez uma parceria com a Coinbase para simplificar a compra de NFTs.

Amazon


A gigante da tecnologia Amazon tem demonstrado interesse no espaço das criptomoedas. Ela está aceitando pagamentos em cripto por fornecedores terceirizados e explorando o potencial de sua própria moeda digital. Embora a empresa não tenha divulgado suas posses específicas em criptomoedas, seus investimentos em tecnologia blockchain mostram um forte compromisso em usar essas tecnologias para aprimorar suas operações e a experiência do cliente.

Ford e Shell


A gigante da indústria automotiva Ford e a multinacional britânica de petróleo e gás Shell estão explorando a tecnologia blockchain para melhorar a gestão da cadeia de suprimentos. A Ford pretende usar a blockchain para rastrear partes de automóveis, melhorando a eficiência logística e reduzindo custos.

Similarmente, a Shell está investigando o uso de blockchain para o comércio de energia, o que poderia otimizar operações, aumentar a transparência e reduzir os custos de transação.

Sony


criptomoedas

O conglomerado multinacional japonês Sony também tem investido em tecnologia blockchain para jogos e NFTs, melhorando a propriedade e a segurança de ativos digitais. Integrando blockchain em seus ecossistemas de jogos, a Sony visa oferecer experiências digitais mais seguras e transparentes.

Essa iniciativa também abre novos fluxos de receita a partir de conteúdo digital e compras nos jogos, posicionando a Sony de forma competitiva frente a outros gigantes tecnológicos.

Desafios regulatórios no setor de criptomoedas


Apesar dos potenciais benefícios, as empresas que adotam criptomoedas enfrentam desafios regulatórios significativos. O ambiente regulatório para criptomoedas ainda está em desenvolvimento, e diferentes países têm posições variadas sobre os criptoativos.

Nos Estados Unidos, por exemplo, a SEC (Comissão de Valores Mobiliários) tem processado várias empresas de criptomoedas nos últimos anos. O presidente da SEC, Gary Gensler, tem reiterado consistentemente que a maioria das criptomoedas deveria ser classificada como valores mobiliários.

Recentemente, a agência iniciou um caso civil contra Sam Bankman-Fried, cofundador da FTX. Além disso, a SEC entrou com ações judiciais contra outros importantes players do mercado cripto, incluindo a Binance, seu CEO Changpeng Zhao, e a Coinbase.

Por fim, em julho do ano passado, a Nasdaq anunciou o cancelamento dos planos para um serviço de custódia de criptomoedas devido aos desafios regulatórios. Na ocasião, a CEO da Nasdaq, Adena Friedman, declarou que a empresa decidiu abandonar seus planos em virtude das mudanças no ambiente de negócios e regulatório nos Estados Unidos.

Leia Mais: