. 1 min read

‘Mano Satoshi’ leva criptomoedas à comunidades carentes no Brasil

Criado pelo empreendedor Vinicius Velasque (@velasque), o projeto Mano Satoshi quer pevar o universo da criptomoedas às comunidades carentes do Brasil. 

A ideia é oferecer educação financeira e empreendedorismo por meio de palestras gratuitas sobre blockchain, criptomoedas, Web3, trading e NFT’s. O projeto teve início no último dia 6 de agosto em comunidades da Baixada Santista. 

Velasque quer usar sua própria experiência como mote para conquistar adeptos. O empreendedor acredita que é possível investir com poucos recursos, desmistificando a ideia de que esse universo é para pessoas que já contam com um bom patrimônio. 

“Pretendemos fazer semanalmente, no começo, toda semana fazer em alguma comunidade, e conforme a aceitação, todo dia em uma comunidade diferente”.

Sobre o projeto 

O Mano Satochi tem como objetivo popularizar o vocabulário financeiro permitindo que pessoas simples possam entender o mundo dos investimentos. 

“O projeto foi batizado como Mano Satoshi nome bem descolado e direto sobre o projeto, pois a palavra “Mano” no linguajar da comunidade quer dizer Irmão e Satoshi vem do Nome Satoshi Nakamoto criador do Bitcoin, e também as frações do Bitcoin são conhecidas com Satoshis, por isso criamos esse  nome fácil de gravar”, explica Velasque. 

Para saber mais sobre o projeto, veja no Youtube um vídeo explicando o que é o Mano Satoshi

No Instagram: https://www.instagram.com/projetomanosatoshi/

———–

Leia mais:

Ex-gerente da Coinbase se declara inocente de acusações de fraude