Metaverso com US$ 100 Milhões em Vendas Semanais de Terrenos NFT

A demanda por terrenos digitais no Metaverso da Meta (antigo Facebook) está crescendo, com a semana passada trazendo US$ 100 milhões em vendas de terrenos não fungíveis (NFT), de acordo com um recente relatório do provedor de informações DappRadar. Os quatro mundos virtuais principais, The Sandbox, Decentraland, CryptoVoxels e Somnium Space, estão relatando vendas de terrenos robustas. 

Lançado pelo gigante da mídia social, o Metaverso compreende um conjunto de mundos virtuais 3D experienciais interconectados que permite aos usuários se envolver em uma economia online que se estende ao digital e físico.

Na semana passada, os quatro reinos digitais atraíram tráfego agregado de mais de 6.000 traders. O Sandbox liderou o caminho com o maior volume de comercialização de terras de cerca de US$ 86,6 milhões, seguido por Decentraland que gerou mais de US$ 15,5 milhões em NFTs de terrenos, conforme indicado pelos dados do relatório. 

CryptoVoxels e Somnium Space estimularam cerca de US$ 2,7 milhões e US$ 1,1 milhões em vendas de terrenos digitais, respectivamente.

Cinco das dez vendas de NFT de terrenos mais caras da semana passada foram de NFTs de terrenos de metaverso em diferentes mundos virtuais, disse DappRadar.

“O mais lucrativo foi o Fashion Street Estate em Decentraland, que trocou de proprietário por 618.000 MANA, ou [US$] 2,42 milhões”, disse a empresa.

Isso levou DappRadar à conclusão de que, sem dúvida, "a terra do metaverso é o próximo grande sucesso no espaço NFT", afirmando:

"Produzindo números recordes de vendas e aumentando constantemente os preços NFT, os mundos virtuais são a nova mercadoria principal no espaço criptográfico. A onda de atenção para mundos virtuais como The Sandbox e Decentraland começou com a mudança da marca do Facebook para Meta."

Enquanto isso, a empresa de investimento em ativos digitais Grayscale argumentou em um recente relatório que o Metaverso poderia se tornar "uma oportunidade de receita de um trilhão de dólares em publicidade, comércio social, eventos digitais, hardware e monetização de desenvolvedor/criador", mas não especificou o prazo dentro em que esse crescimento poderia ocorrer.

Michael Gord, COO da empresa imobiliária virtual Metaverse Group, disse ao The New York Times que os céticos devem levar em consideração as tendências catalisadas pela pandemia em curso, e que é “inevitável que o metaverso seja a rede social nº 1 no mundo."

“Imagine se você viesse para Nova York quando era uma fazenda e tivesse a opção de obter um quarteirão do SoHo”, disse Gord. “Se alguém quer comprar um imóvel no SoHo hoje, não tem preço, não está à venda. Essa mesma experiência vai acontecer no metaverso.”