Pesquisa revela que cerca de 40% dos investidores institucionais tiveram algum tipo de exposição a cripoativos em 2023

Cerca de 40% dos investidores institucionais tiveram algum tipo de exposição a criptoativos em 2023. Esse percentual representa um expressivo aumento de 31%, com relação aos registros 2021.

Conforme uma pesquisa recente realizada pela KPMG no Canadá e pela Canadian Association of Alternative Assets & Strategies, houve um significativo crescimento no interesse de investidores institucionais por criptomoedas.

Segundo o estudo, um terço dos respondentes alocaram pelo menos 10% do seu portfólio em criptoativos. No levantamento de dois anos atrás, no entanto, esse número correspondia a apenas um quinto.

Amadurecimento do mercado leva investidores institucionais a explorar o universo cripto


A pesquisa abordou, ainda, os motivos por trás do crescente interesse de investidores institucionais por criptomoedas.

De acordo com o relatório, a maioria dos respondentes, 67%, citaram a maturidade do mercado e a infraestrutura de custódia como um fator substancial. Esse resultado representa um significativo aumento de 14% com relação aos dados de 2021.

Além disso, 58% dos entrevistados mencionaram o potente desempenho do mercado de criptomoedas como um elemento motivador para seus investimentos no setor.

Desempenho do mercado cripto melhorou substancialmente


A performance do mercado de criptomoedas, particularmente Bitcoin e Ethereum, tem sido notável nos últimos anos.

Bitcoin, a maior criptomoeda com relação à capitalização de mercado, apresentou um crescimento de 150% em 2023 e, em 2024, já registrou uma alta de 60% até então.

Similarmente, Ethereum, a segunda maior criptomoeda, cresceu cerca de 60% em 2024.

A aprovação de ETF Spots de Bitcoin pela Comissão de Valores Mobiliários (SEC) dos Estados Unidos, em janeiro deste ano, teve um papel importante no sentido de impulsionar o acesso de investidores institucionais à categoria de criptoativos.

Após anos de frustradas tentativas, a decisão da SEC facilitou a inclusão de criptomoedas nos portfólios dos investidores institucionais.

Outra pesquisa recente apontou um robusto crescimento no número de consultores financeiros que pretendem recomendar aos seus clientes oportunidades relacionadas ao setor cripto. Esse levantamento foi conduzido pelo Digital Assets Council of Financial Professionals.

O relatório mostrou que 35% dos respondentes planejam encorajar seus clientes a investir no universo de criptoativos. No final do anterior, esse percentual era de apenas 21%.

Como consequência, o aumento do interesse por criptomoedas levou a uma cobertura mais ampla de ativos digitais por parte de grandes empresas sell-side (que vendem títulos). Como exemplo, temos JPMorgan e AllianceBernstein.

Isso contribuiu para discussões mais sofisticadas entre especialistas em relações com investidores e investidores institucionais.

Os times de relações com investidores observaram uma expressiva mudança com relação ao conhecimento e compreensão dos investidores sobre criptomoedas, com conversas focadas em tópicos mais avançados, em comparação com anos anteriores.

Cresce interesse pelo setor cripto em Hong Kong


Também se observou um aumento do interesse por criptomoedas em Hong Kong. Lá, a clareza da regulação e as recentes aprovações de ETFs Spots de Bitcoin e Ethereum contribuíram para um maior interesse por parte de investidores institucionais e individuais.

O OSL Group, por exemplo, empresa de ativos digitais listada em Hong Kong, registrou um substancial aumento no interesse de investidores. Como resultado, a abordagem de seus especialistas em relacionamento com investidores se tornou mais proativa.

Como relatado, Hong Kong lançou seu primeiro lote de ETFs focados em criptomoedas, estabelecendo uma potencial concorrência por populares produtos de Bitcoin nos Estados Unidos.

Harvest Global Investments Ltd., a unidade local da China Asset Management, junto com uma parceria entre HashKey Capital Ltd. e Bosera Asset Management (International) Co., listaram ETFs de Bitcoin e Ether na cidade, na semana passada.

Leia mais: