`
. 3 min read

Projeto de Lei Sul-Coreano Pede Prisão Perpétua a Manipuladores do Mercado de Criptomoedas

O governo sul-coreano divulgou um novo projeto de lei criptográfica que inclui punição estrita para crimes simbólicos relacionados à manipulação de mercado – propondo multas pesadas e pesadas sentenças de prisão para os infratores.

Segundo Maeil Kyungjae e o Hankyoreh, nos casos em que os infratores ganham mais de US$ 4,2 milhões com seus esforços de manipulação de mercado, os tribunais podem proferir sentenças de prisão perpétua. O projeto cobre o comércio de informações privilegiadas nos mercados de criptomoedas, fazendo uso de “informações ainda não divulgadas”, bem como transações criptográficas ilegais.

O projeto é uma resposta indireta a uma série de casos de alto perfil de controvérsias de manipulação de mercado alegadas e comprovadas, com indivíduos e empresas acusados ​​de aumentar artificialmente os volumes de negócios, divulgando notícias falsas sobre listagens de tokens iminentes e muito mais. Muitas exchanges sul-coreanas tradicionalmente oferecem pares de tokens de baixa capitalização que os críticos afirmam estarem prontos para esforços de manipulação de mercado.

Os termos do projeto de lei explicam que mesmo nos casos em que a manipulação traz infratores menos de US$ 422.000 em “lucros”, os tribunais devem proferir uma sentença mínima de um ano de prisão.

Os infratores condenados também serão forçados a pagar aos tribunais entre 3 a 5 vezes o dinheiro que ganharam em multas.

E não são apenas os criptoativos convencionais que serão cobertos pela lei: também se aplicará a finanças descentralizadas (DeFi), stablecoins, moedas de jogo e tokens de segurança, explicaram os meios de comunicação.

O projeto de lei ainda não foi finalizado e será primeiro examinado pelas comissões parlamentares relevantes antes de ser submetido a votação na Assembleia Nacional.

Enquanto isso, o principal regulador do país, a Comissão de Serviços Financeiros (FSC), parece estar falando em círculos sobre a questão dos tokens não fungíveis (NFTs) e se eles estarão sujeitos a tributação a partir de janeiro.

Os comerciantes serão obrigados a pagar 20% de imposto sobre ganhos de capital sobre lucros anuais de US$ 2.100 ou mais a partir do próximo ano – embora o partido no poder e os dois principais candidatos para as eleições presidenciais do próximo ano tenham apoiado medidas para atrasar o lançamento do imposto em um ano.

O FSC declarou anteriormente que os NFTs não estão sujeitos a tributação porque “não são criptoativos” – mas Seoul Shinmun relatou que o vice-presidente do FSC, Do Kyu-sang, de fato disse ao Comitê de Assuntos Políticos da Assembleia Nacional que “a posição do governo é que os NFTs pode ser tributados mesmo sob os regulamentos atuais.”

Os parlamentares alegaram anteriormente que é injusto que os comerciantes que compram e vendem bitcoin (BTC) e outros tokens sejam tributados sobre seus ganhadores, enquanto os comerciantes NFT escaparão da tributação sobre seus rendimentos.

O FSC não descartou fazer novas alterações na legislação para ajudá-la a impor a tributação NFT – embora isso possa exigir a aprovação da Assembleia Nacional. Essa aprovação pode não acontecer nas preparações para a eleição do próximo ano, com os políticos esperançosos de obter favores entre os eleitores mais jovens e criptográficos.

A crítica bateu no FSC. O maior acadêmico de criptografia do país, Park Sung-joon, chefe do Blockchain Research Center da Dongguk University, foi citado pelo Korea Times como tendo declarado:

“Nesta situação, em que as autoridades financeiras estão se contradizendo, é confuso para que os participantes do mercado de ativos virtuais saibam se devem ou não pagar impostos.”