Quatro chaves para entender os mercados como um "Jovem Investidor"

Agustín Natoli, conhecido como Jovem Investidor (Joven Inversor em espanhol) como é conhecido em suas redes sociais, é um argentino com mais de 339 mil inscritos em seu canal no YouTube onde ensina sobre o mundo dos investimentos em geral e das criptomoedas.

Recentemente, a Cryptonews em espanhol teve a oportunidade de conversar com ele para conhecer, em primeira mão, sua visão dos mercados atuais, bem como algumas chaves para quem deseja entrar no mundo dos investimentos.

Ele passou vários anos alocando capital para o mercado de ações e é muito claro sobre qual deve ser o objetivo de quem decide entrar nesse universo.

Chave 1

"Gosto de comprar ativos em que confio e como sempre digo, procuro que tenham valor pelo menor preço possível. É importante saber a distinção entre valor e preço"

Entrando totalmente no assunto das criptomoedas, ele comenta que começou a investir nelas em 2019, quando o mais recente halving (halving na emissão) do Bitcoin ainda não havia ocorrido e ele precisava ver quantas criptomoedas multiplicavam x50, x60 ou x70.

Ele confessa que depois se aprofundou, conhecendo e estudando sobre a tecnologia blockchain por trás disso e acabou ficando. É aqui que ele destaca o que considera outra chave fundamental.

Chave 2

“Teríamos que começar entendendo a tecnologia, o que as criptomoedas vêm fazer e depois olhar para os retornos, mas a realidade é que muitas vezes entramos primeiro neste último aspecto”.

Ele também recomenda que, para quem está começando, é importante construir um portfólio que não seja baseado apenas em criptomoedas.

Chave 3

"Eu começaria entendendo a tecnologia e assim que tiver clareza sobre como o Bitcoin e outras criptos funcionam, eu os adicionaria a um portfólio. É um mercado ainda jovem com muita volatilidade, então deve ser um percentual dentro a seção de renda variável, não 100% da carteira"

Falando de seus investimentos pessoais, ele afirma que os mais interessantes são Bitcoin e Ethereum, mas também confessa que gosta muito do projeto Algorand (ALGO).

Em relação às regulamentações que estão aumentando pelos governos, Agustín é muito contundente ao lembrar um ditado:

"Você não pode controlar o oceano, mas pode controlar os portos, o que entra e sai deles. O estado ou as empresas podem controlar as bolsas, mas não o que acontece no mercado e no blockchain"

Por fim, em relação ao futuro dos preços, embora seja difícil determinar, ele acha que quando os grandes investidores institucionais terminarem de entrar, o mercado encontrará um preço de equilíbrio que poderá ficar entre US$ 200 mil e US$ 300 mil por Bitcoin sem movimentos tão abruptos de 30%.

Antes de encerrar a entrevista por telefone com a Cryptonews em espanhol, o argentino não hesitou em mencionar uma última chave:

Chave 4

"Em geral, as pessoas fazem o contrário do que deve ser feito. Se eles dizem para você entrar em um projeto com muito lucro, você tem que ter cuidado porque certamente não será mais lucrativo enquanto eu conto que as pessoas pensam que é já não vale a pena outro, é provável que haja a oportunidade

Faça sua própria análise e não invista em coisas que você não conhece."

------------

Leia mais:

Ronin Bridge da Axie Infinity será reaberta após hack, fundos bloqueados serão devolvidos

Cristiano Ronaldo e Binance se unem para lançar uma coleção de NFT