Tether, empresa criadora do USDT, lança nova stablecoin

Pedro Augusto
| 2 min read

A Tether, conhecida empresa de ativos digitais e responsável pela stablecoin USDT, divulgou um investimento estratégico de US$ 18,75 milhões no Grupo XREX. Além disso, ela anunciou o lançamento de uma nova stablecoin chamada XAU1.

Em suma, segundo o comunicado da empresa, essa parceria tem como objetivo aprimorar os pagamentos transfronteiriços business-to-business (B2B) e promover inovações na indústria de ativos digitais e em tecnologia regulatória.

Paolo Ardoino, CEO da Tether, destacou a importância dessa colaboração, afirmando que ela liderará diversas iniciativas inovadoras. Entre elas, está o lançamento da nova stablecoin XAU1, desenvolvida pela Unitas Foundation, e a melhoria na eficiência e acessibilidade dos pagamentos transfronteiriços na região, utilizando o USDT.

Parceria da Tether com XREX promete reduzir custos de transações internacionais


A Tether realizou um investimento estratégico no XREX Group, o que possibilitará ao XREX facilitar pagamentos transfronteiriços B2B utilizando a criptomoeda Tether, sempre em conformidade com as regulamentações vigentes. Esse desenvolvimento é promissor para oferecer às empresas mais eficiência e custos reduzidos nas transações internacionais.

Paolo Ardoino, expressando a importância dessa colaboração, declarou que o investimento da Tether no XREX Group reforça o compromisso da empresa em fomentar a inclusão financeira nos mercados emergentes.

Além de um aporte de US$ 18,75 milhões, o XREX, em colaboração com a Unitas Foundation, lançará o XAU1. Esta será uma stablecoin lastreada em ouro e atrelada ao dólar americano. Essa nova criptomoeda promete oferecer estabilidade e proteção contra a inflação, conforme anunciado em comunicado à imprensa.

Wayne Huang, CEO do XREX Group, destacou a relevância dessa nova oferta. Ele ressalta que o suporte e o investimento da Tether são cruciais para a expansão e refinamento do XREX Group como uma instituição financeira responsável.

Novas regras europeias do MiCA

Apesar do design e dos valores propostos, as dinâmicas de mercado, manipulações e oscilações têm exposto as stablecoins a vulnerabilidades que afetam sua estabilidade. Com a proximidade da implementação das novas regras do Markets in Crypto-Assets Regulation (MiCA), plataformas de negociação como a Binance estão se organizando para migrar usuários europeus de stablecoins não autorizadas para outras que estejam regulamentadas.

A necessidade de uma regulamentação clara para as stablecoins é reconhecida como essencial para o futuro do setor. Contudo, ainda existe uma incerteza quanto à determinação de quais stablecoins satisfazem os requisitos estabelecidos pelo MiCA.

Neste contexto, a estratégia da Binance de permitir apenas a venda de stablecoins não autorizadas reflete uma postura cautelosa enquanto a revisão regulatória segue em curso.

Leia Mais: