Títulos do Tesouro tokenizados são uma classe de ativos emergente – Entenda como funcionam

A demanda por títulos do Tesouro tokenizados está aumentando. Dados recentes indicam que mais de US$ 1 bilhão em notas do tesouro foram tokenizadas em redes públicas de blockchain.

Andrew O’Neill, Diretor Geral de Ativos Digitais da S&P Global Ratings, disse ao Cryptonews que o recente lançamento do fundo BUIDL da BlackRock – atualmente o maior fundo de tesouro tokenizado do mundo – parece estar acelerando essa tendência.

“Conforme mostrado no gráfico, o lançamento do fundo BUIDL acelerou o crescimento do volume excepcional”, disse O’Neill.

Fonte: S&P Global Ratings

“Também é interessante observar as declarações públicas de Larry Fink sobre o papel da tokenização no futuro da BlackRock e dos mercados financeiros. Dessa forma, pode-se compreender o contexto em que isso está sendo feito”, acrescentou O’Neill.

O que são títulos do Tesouro tokenizados?


Na verdade, o CEO da BlackRock, Larry Fink, mencionou recentemente que os mercados de capitais poderiam tornar-se mais eficientes através da movimentação on-chain.

“Os títulos do tesouro tokenizados são tokens digitais criados em uma blockchain que são respaldados por um portfólio de obrigações do governo dos EUA. Esses ativos são emitidos tanto por empresas nativas de blockchain quanto por instituições tradicionais.” – Explicou O’Neill.

O’Neill acredita que os títulos do tesouro tokenizados estão se tornando mais importantes. Isso porque podem ajudar os fundos do mercado monetário e seus investidores a administrar a liquidez.

Títulos do Tesouro tokenizados ajudam nos desafios de liquidez 


Por exemplo, O’Neill observou que em tempos de volatilidade do mercado, os investidores podem necessitar satisfazer as exigências de margem em algumas posições.

“Os investidores em fundos do mercado monetário podem procurar resgatar as suas participações no fundo por dinheiro para cumprir estas obrigações”, disse O’Neill.

O’Neill observou que, no entanto, se muitos investidores resgatassem de uma só vez, isso aumentaria o risco de liquidez do fundo. Embora a Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC) tenha aumentado recentemente os requisitos mínimos de ativos líquidos dos fundos para mitigar este risco, O’Neill acredita que a tokenização pode ser benéfica.

“Os investidores agora podem ter acesso à liquidez na rede 24 horas por dia ”, disse ele. “Por exemplo, o fundo BUIDL da BlackRock, emitido em Ethereum (um blockchain público), permite que os investidores resgatem suas ações por stablecoin USDC por meio de um contrato inteligente, tudo sem depender de qualquer intermediário.”

Ele acrescentou ainda que os investidores podem usar seus tokens como garantia líquida, em vez de precisar resgatá-los. Por sua vez, isto poderia reduzir o risco de uma corrida de resgates a um fundo.

A Franklin Templeton permitiu recentemente transferências peer-to-peer de tokens de seu fundo FOBXX para apoiar tal capacidade.

Chris Yin, CEO e cofundador da Plume Network – uma rede de camada 2 focada em RWAs – disse ao Cryptonews que a FOBXX busca fornecer aos investidores um veículo de investimento seguro e líquido.

“O FOBXX utiliza o blockchain Stellar para processamento de transações, com o objetivo de aumentar a transparência e reduzir custos operacionais. É acessível através do aplicativo Benji Investments, que permite ainda mais a integração da carteira digital.” – Disse Yin.

Títulos do Tesouro tokenizados permitem RWAs


Yin acrescentou que a verdadeira virada de jogo por trás dos títulos do tesouro tokenizados é a habilitação da propriedade fracionada de ativos do mundo real (RWAs).

“Esta abordagem aumenta a eficiência e permite a propriedade fracionada, expandindo o acesso a uma base mais ampla de investidores”, explicou Yin.

Embora o conceito ainda seja novo, os títulos do tesouro tokenizados podem ser divididos em unidades menores. Ao contrário das notas do tesouro tradicionais com elevados requisitos mínimos de investimento, a tokenização permite a participação até mesmo de pequenos investidores.

“Ao começar com os títulos do Tesouro dos EUA, que são familiares e de baixo risco, eles fornecem uma porta de entrada para os investidores se envolverem com ativos na rede”, disse Yin.

Os títulos do Tesouro tokenizados atrairão os investidores? 


Embora os títulos do tesouro tokenizados proporcionem uma série de benefícios, não está claro como os investidores se envolverão com esses novos ativos.

Esta classe de ativos ainda está no começo e o interesse dos investidores também”, disse O’Neill. “Um salto significativo no interesse dos investidores exige que os investidores possam perceber plenamente os benefícios de manter um ativo tokenizado.”

Para conseguir isso, O’Neill acredita que a interoperabilidade da blockchain é necessária para apoiar mercados secundários ativos.

“A capacidade de mobilizar o próprio ativo tokenizado como garantia, em vez de ter que resgatar ações de um fundo, é atraente. Ademais, isso já é tecnicamente possível em alguns casos”, disse O’Neill.  “No entanto, ainda não existe um mercado secundário significativo para a negociação desses ativos.”

Além disso, O’Neill observou que são necessárias soluções para unir as transações em dinheiro na rede. O outro aspecto importante é permitir que os fluxos de dinheiro na rede apoiem as transações de entrega versus pagamento, disse ele.

“Se um ativo tokenizado puder ser transferido on-chain, mas os pagamentos reais de uma transação forem feitos off-chain de maneira tradicional, haverá pouco ganho para os investidores.”

Embora este possa ser o caso, o fundo BUIDL da Blackrock ilustra como os investidores podem acessar liquidez 24 horas por dia, 7 dias por semana, por meio de um contrato inteligente usando uma moeda estável. O’Neill acredita que a clareza regulatória em torno das stablecoins ajudará os investidores a se envolverem com esses tipos de recursos no futuro.

A tokenização ajudará as instituições, mas os desafios permanecem


O analista de pesquisa de ETF da Bloomberg Intelligence, James Seyffart, disse ao Cryptonews que empresas como BlackRock, Franklin Templeton e WisdomTree estão demonstrando como o blockchain pode agilizar aspectos das finanças tradicionais.

“Estamos no início de tudo isso, mas as empresas estão tentando muitas coisas diferentes e o mercado acabará por decidir o que funciona”, disse Seyffart.

No entanto, para que os títulos do tesouro tokenizados tenham sucesso, O’Neill acredita que os investidores necessitam de acesso direto às blockchains nas quais os ativos tokenizados são construídos.

Ele também mencionou que as instituições precisam conectar seus sistemas legados a essas blockchains. Com isso em mente, Yin explicou que a Plume Network busca simplificar o processo de implantação de projetos RWA, ao mesmo tempo que apresenta aos investidores um ecossistema blockchain para polinização cruzada e investimento em vários RWAs.

“A Plume Network permite a composição de RWA por meio de seus prósperos aplicativos DeFi e fornece acesso a compradores de alta qualidade para aumentar a liquidez para todos os RWAs”, disse ela.

“Através dos vários projetos em nosso ecossistema, fornecemos casos de uso de cripto – pedir/emprestar, negociar, especular, produzir rendimento, etc. – para RWAs, a fim de disponibilizar mais  liquidez.”

Yin também acredita que, à medida que os investidores institucionais adotam cada vez mais os RWAs, uma nova onda de investidores de varejo injetará capital nos ecossistemas blockchain como nunca antes.

“Ao concentrar-se inicialmente na construção de tração dentro desta comunidade e expandir gradualmente para a adoção institucional, onde o ritmo é normalmente mais lento, o crescimento sustentável e a aceitação geral podem ser alcançados”, observou Yin.

O’Neill afirmou ainda que as estruturas regulatórias emergentes nas principais jurisdições aumentarão o apetite dos investidores para se envolverem com stablecoins e os recursos que elas permitem.

“Como o exemplo do fundo BUIDL de resgate sem intermediários por meio de um contrato inteligente”, disse ele.

 

Leia mais: