Stablecoins: O Que São e Qual o Seu Papel no Mundo Cripto

Emanuel Marcelino
| 11 min read

Um guia completo sobre stablecoins

As stablecoins surgiram em 2014 e atualmente estão em alta, sendo bastante utilizadas para transferências internacionais, justamente por possuírem um caráter híbrido. Isto é, podem ser consideradas uma moeda intermediária entre as criptomoedas e o dinheiro real.

Neste sentido, existem diversas vantagens ao comprar stablecoins, justamente por serem estáveis, com pouca volatilidade. A partir deste artigo, você poderá entender o que são as stablecoins, como funcionam, os tipos e as principais vantagens de uso, além das opções principais.

Logo abaixo, apresentaremos quais são as principais moedas estáveis, com pouca volatilidade e grande liquidez no Brasil e no mundo.

  1. Tether (USDT)
  2. USDC (USDC)
  3. Dai (DAI)
  4. First Digital USD (FDUSD)
  5. TrueUSD (TUSD)
  6. USDD (USDD)
  7. Ethena USDe (USDe)
  8. TerraClassicUSD (USTC)
  9. Paypal USD (PYUSD)
  10. Frax (FRAX)

O que são Stablecoins?


Ao imaginarem o mundo das criptomoedas, é comum os iniciantes associarem o mercado a grandes mudanças repentinas no preço. Em partes, isto é verdade, alguns ativos digitais possuem grandes alterações, sejam de valorização ou desvalorização.

Em contorno a isso, surgiram, ainda em 2014, as stablecoins. Na tradução livre, “stable” significa “estável”, e “coins”, moeda, que por sua fez faz referência aos ativos digitais. Assim, representam o oposto dos outros ativos digitais, visto possuírem baixa volatilidade.

Em resumo, sobre o que são stablecoins, elas são moedas digitais com um preço fixo — isso mesmo. Diferente das outras criptomoedas que podem ter mudanças repentinas de preço, essas moedas estáveis são baseadas a outros ativos.

A princípio, as stablecoins podem estar vinculadas a moedas fiduciárias, a saber: dólar, euro, real e outras. Assim como elas podem ser vinculadas a outros ativos, como o ouro, prata, petróleo e outros. Por isso, elas mantêm a estabilidade do preço e possuem pouca volatilidade.

Como funcionam as Stablecoins?


Agora que você sabe o que são stablecoins, explicaremos sobre o seu funcionamento. Afinal, o que possibilita essas criptomoedas possuírem valores estáveis, com baixa volatilidade e acompanharem os valores de moedas reais?

A princípio, as stablecoins também são criadas em redes de blockchain, ou seja, em um livro razão de registros. Nele são armazenadas e registradas publicamente todas as transações de ativos digitais, possibilitando a segurança dos ativos.

Para que elas funcionem como moedas estáveis, as empresas criadoras precisam possuir a mesma quantidade do fornecimento total em dinheiro real. Por exemplo, para criarem e fornecerem 100 milhões de determinada moeda baseada no dólar , é preciso ter 100 milhões de dólares em caixa.

Como resultado, a moeda lançada terá a proporção de 1 para 1 com o dólar ou outro ativo que ele for vinculado. A saber, uma das stablecoins mais conhecidas é o Tether USDT e ele possui o fornecimento de 104,45 BI. Isto significa que a empresa criadora possui o mesmo valor em reserva real de dólares.

Isto implica que ter uma das stablecoins, como USDT, USDC, DAI e outras, é equivalente a possuir dólares, mas de uma forma desburocratizada e fácil. Assim, é bastante utilizada para transferências internacionais, proteção contra inflações em países subdesenvolvidos e outros direcionamentos. Sobre isso, explicaremos mais abaixo.

Para que servem as Stablecoins: Quais as Vantagens?


A existência das stablecoins possibilitam diversos usos, com base no interesse do detentor. Atualmente esses ativos digitais são muito utilizados por pessoas e empresas, principalmente para pagamentos de serviços, trocas e outros fins. Entenda abaixo:

  • Transferências internacionais: um dos principais usos das moedas estáveis é para pagamentos internacionais. Isto porque essas transações possuem baixo custo, quando comparado aos métodos tradicionais (com taxas de câmbio), bem como são processadas rapidamente;
  • Proteção: algumas pessoas residentes em países chamados de “terceiro mundo”, costumam comprar stablecoins de forma estratégica. Isto porque alguns desses países subdesenvolvidos enfrentam alta de inflação e desvalorização da moeda local. Assim, comprar USDT, USDC e outras criptomoedas vinculadas ao dólar se torna uma vantagem;
  • Volatilidade: outra vantagem que comprar stablecoins traz é proteção contra a volatilidade, ou seja, grandes variações de preço. Afinal, quando alguns ativos estão apresentando grandes variações de preço, alguns investidores convertem os valores em moedas estáveis;
  • DeFi: antes de tudo, é válido ressaltar que as stablecoins são criptomoedas. Assim, elas funcionam em sistema de finanças descentralizadas, sendo fundamentais para as operações nesse ecossistema. Dessa forma, elas podem ser utilizadas para empréstimos, negociações e outros traders, sem intermediários e com taxas baixos.

A partir dos pontos destacados acima, podemos concluir que existem várias vantagens ao comprar stablecoins. E claro, diversos usos, com base no interesse do investidor que pode comprá-lo para negociações, pagamentos, transferências internacionais, proteção contra inflação e outros.

Visite a Binance

Que tipos de Stablecoins existem?


Até agora, apresentamos o que são stablecoins e a sua importância no mundo das criptomoedas, além das vantagens atreladas. Ao mesmo tempo, é importante salientar que existem três tipos de moedas estáveis, cada uma vinculada em moedas diferentes.

Afinal, conforme mencionamos anteriormente, existem algumas ligadas a moedas fiduciárias, commodities e as não lastreadas. Resumidamente, “lastreada” significa moedas ligadas e/ou apoiadas em algum ativo. Abaixo, listamos os tipos de stablecoins.

Lastreadas em Moedas Fiat

Antes de tudo, é importante saber que “moedas Fiat” são as que foram emitidas e geridas por governos. Dessa maneira, se encaixa nessa definição as moedas como o real brasileiro, o dólar, euro e outras, todas gerenciadas por instituições públicas.

Neste sentido, as moedas como o Tether (USDT), USDC e outras, são lastreadas, conforme a sigla, no dólar. De tal forma que ela possui o mesmo valor que o dólar americano. Por exemplo, no momento da redação deste artigo 1 USDT equivalia a R$5,06.

Com isso, todas as variações de preço que o dólar americano tiver, serão acompanhadas pela stablecoin USDT — a mais utilizada no Brasil. Isto ocorre porque a empresa responsável pelo projeto possui a reserva em dinheiro real igual ao fornecimento total de moedas. Em outras palavras, a cada 1 stablecoin USDT disponível no mercado, a empresa têm 1 dólar americano na reserva. Também conhecido como proporção 1:1.

Lastreadas em Commodities

Os investidores também pode optar por comprar stablecoins lastreadas em commodities. Diferente do tipo anterior, essa não é vinculada ao valor de moedas fiduciárias (emitidas por governos), mas em outros ativos.

Neste caso, é em matérias-primas físicas com valores próprios, como o ouro, prata e até petróleo. Assim, cada moeda é equivalente a uma determinada quantidade de commodities, como o ouro, armazenado em lugares seguros. Por isso, possibilita a estabilidade e pouca volatilidade de preço.

Stablecoins algorítmicas

As moedas estáveis algorítmicas possuem grande diferença em comparação aos tipos anteriores. Então o que são stablecoins algorítmicas? Esta categoria não é lastreada ou respaldada em moedas fiduciárias, ou matérias-primas valorosas.

O seu funcionamento tem como base diversos algoritmos (contratos inteligentes) que possibilitam a sua estabilidade, com base na oferta e demanda. Então, por exemplo, imagine um cenário de baixa no preço desse tipo de stablecoins.

Com isso, o algorítimo iria reduzir a disponibilidade das moedas, o fazendo atingir o valor determinado pelo projeto. Da mesma forma, os algoritmos também regulam o preço caso ocorra o aumento no valor. Neste caso, a partir da emissão de mais moedas.

É válido mencionar que as stablecoins algorítmicas possuem maior volatilidade em comparação as outras. E claro, o tipo lastreada em moedas Fit possuem maior estabilidade. Porém, é inegável que as stablecoins algorítmicas representam um grande avanço no mundo das criptomoedas.

Stablecoins Lastreadas em Criptomoedas

Por fim, também existem as stablecoins vinculadas às criptomoedas, como Ethereum, Bitcoin e outras. Para elas possuírem um valor estável, por exemplo semelhante ao dólar, é feito um processo de colaterização.

Ou seja, é oferecido um número maior de moedas para manter a sua estabilidade. Afinal, mesmo que o valor da criptomoeda utilizada para o lastro stablecoin cair, o valor continuará o mesmo. Isto porque foi utilizado, por exemplo, 2$ para gerar $1.

Além disso, esse tipo usa alguns mecanismos de ajustes. Seja emitindo novas moedas, incentivando a venda ou até a queima de estoque. Um dos exemplos dessas stablecoins é a DAI. Ademais, é válido salientar que é uma das mais controversas e complexas.

Visite a Binance

Quais as Principais Stablecoins?


Pretende comprar stablecoins? A partir deste tópico, você poderá conhecer quais são as principais moedas estáveis. Assim, apresentaremos a capitalização total do mercado e outras características. Confira abaixo.

Tether (USDT)

Stablecoin Tether USDT

No Brasil, embora várias stablecoins sejam utilizadas, a Tether (USDT) é a mais comprada e negociada. Nas últimas 24 horas, esta moeda apresentou uma alta de 69,12% no volume de negociações — o que representa $ 75,59 bilhões.

Isto significa que ela possui uma liquidez muito elevada e possibilita vender e comprar stablecoins USDT com facilidade. De tal forma que ela está disponível em inúmeras corretoras de criptomoedas.

O Tether USDT faz parte das stablecoins baseadas em moedas fiduciárias, neste caso, o dólar. Ela possui o fornecimento em circulação de $ 104,79 bilhões, com base no dólar americano.

Comprar USDT

USDC (USDC)

Moeda estável USD Coin (USDC)

Ao mencionar as stablecoins, a USDC também está entre as mais conhecidas. Esta também é lastreada no dólar americano, então supõe-se que para cada moeda digital disponível, existe um dólar em reserva. Possibilitando a proporção 1:1.

Existem alguns dados importante para a compressão deste moeda. Nas últimas horas, o USDC teve um volume de transferência de $ 9,07 bilhões, com alta de 65,05%. Estes dados também indicam a grande liquidez para negociações.

E claro, ela está valendo exatamente 1 USD — o que representaria R$5,06 reais e possui fornecimento total de $ 32,69 bilhões. 

Comprar USDC

Dai (DAI)

Stablecoin Dai (DAI)

Com base na rede Ethereum, a stablecoin DAI também é baseada no dólar americano. Contudo, ela não é lastreada em moedas fiduciárias, mas em criptomoedas Ethereum. Este ativo estabilidade e segue a moeda americana e pelos seus contratos inteligentes na rede Ethereum. Por isso, pode ter uma proteção a mais contra as inflações do dólar americano, embora sejam pouco frequentes.

As stablecoins DAI possuem o fornecimento de 5,35 bilhões, mas apresentou um volume de transações menor em comparação as outras. A saber, 4,69%, o que representaria $ 216,46 milhões. Por isso, ocupa o terceiro lugar entre as stablecoins mais compradas.

Comprar DAI

First Digital USD (FDUSD)

First Digital USD - logo

Similarmente as stablecoins USDT e USDC a First Digital USD é uma moeda estável, vinculada ao dólar. Esta moeda tem o lançamento na rede de blockchain Ethereum e Binance Smart Chain.

Esta stablecoin possui alguns diferenciais em relação as suas reservas. Desse modo, a empresa responsável pela First Digital USD possui contas separadas para manter as reservas em dólares reais. Assim como realiza auditorias para comprovar que possui a reserva em dólares, na proporção 1:1.

O fornecimento dessa stablecoin é de 2,57 bilhões, com volume de 70,26% nas últimas 24 horas. Dessa maneira, também é fácil comprar stablecoins First Digital USD e vendê-lo em várias corretoras.

TrueUSD (TUSD)

TrueUST - stablecoin

Por fim, também destacamos a stablecoin TrueUSD, lastreada em dólares americanos, com proporção 1:1. Isto é comprovado a partir de auditorias feitas por terceiros, com monitoramento e em contas segregadas.

A TrueUSD está ativa na Ethereum e Binance e em outras exchanges, embora não dependa dela. Isto porque também fica disponível em instituições financeiras e bancos com quem possui parcerias. O fornecimento é de 494,46 milhões e tem volume de negociações de 62,59 milhões, ou seja, 32,36% nas últimas 24 horas.

Onde comprar Stablecoins?


Comprar Stablecoins na Binance

Para comprar stablecoins, você precisará escolher uma corretora de criptomoedas segura e que possibilite tais transações. Em nossa avaliação, recomendamos a Binance — atualmente a plataforma mais utilizada no Brasil e com várias ferramentas de segurança.

Por lá, você poderá comprar criptomoedas USDT, USDC, DAI, FDUSD, TUSD e outras stablecoins confiáveis e com preço estável. Isso pode ser feito após criar uma conta na plataforma. Para isso, é preciso acessar o site oficial da Binance e preencher o formulário de login.

Como ferramenta de segurança, será preciso utilizar a autenticação de dois fatores (2FA) e verificar a identidade de usuário. Com isso, é preciso apenas depositar moedas fiduciárias, como o real, dólar e outras e trocá-las por stablecoins.

O acesso à corretora de criptomoedas Binance pode ser realizado em seu aplicativo para celulares e no computador. Ambas versões possuem um design intuitivo e de fácil uso, além de guias e Serviço de Atendimento ao Cliente (SAC).

Visite a Binance

Conclusão


Ao ler este guia, você pôde entender o que são stablecoins e a sua importância no mercado de criptomoedas. E claro, as suas vantagens no mercado internacional, com transferências rápidas, descentralizadas e com taxas acessíveis.

Além disso, as stablecoins possibilitam proteção contra inflação de algumas moedas fiduciárias, principalmente em países “subdesenvolvidos”. Dessa maneira, você pode considerar comprar stablecoins e utilizá-las para transferências rápidas e com taxas baixas.

Perguntas frequentes

Qual a melhor stablecoin para investir?

Entre as stablecoins, a Tether USDT é a mais conhecida e com maior fornecimento e capitalização de mercado. Dessa forma é a mais recomendada para investimento. Sobre isso, é importante destacar que essas moedas possuem estabilidade e variam apenas com base no dólar.

As stablecoins são seguras?

Sim. Diferente de outros ativos digitais, as stablecoins possuem baixa volatilidade, pois são lastreadas em ativos. A saber: podem ser vinculadas a moedas como o dólar, euro e outras, no ouro e até em outras criptomoedas. E claro, são baseadas em redes de blockchain.

Como comprar stablecoins?

As stablecoins podem ser compradas em qualquer corretora disponível, como a Binance. A princípio será necessário criar uma conta e enviar dinheiro para a sua carteira. Por fim, é preciso apenas comprar o ativo que você preferir.

Qual moeda é lastreada em ouro?

A mais conhecida por ser lastreada em ouro é a Pax Gold (PAXG). Isso significa que os responsáveis possuem reservas reais de ouro, para a credibilidade da stablecoin e estabilidade de preço.

Para que serve uma stablecoin?

São vários os usos atrelados as stablecoins. Diversas empresas e pessoas as utilizam como forma de pagamento, principalmente para transferências internacionais. Assim como elas podem ser compradas para proteção contra inflação, trocas e outros fins.

Qual a stablecoin da Cardano?

Após diversos atrasos e imprevistos, a Cardano lançou sua própria stablecoin, lastreada em uma moeda fiduciária, o dólar, com proporção 1:1. Com lançamento recente, o USDM é a sigla para a nova moeda estável.