`
. 6 min read

O Brasil em números: quantos brasileiros investem em criptomoedas?

Você já teve a curiosidade de saber quanto brasileiros investem em criptomoedas? Talvez você se surpreenda, porque o número é expressivo e o Brasil está entre os cinco países que mais têm cripto investidores. 

São mais de 10 milhões de brasileiros que entraram para o mercado das moedas digitais. Isso representa 5% da população do país. 

O Brasil só perde para quatro países: Ìndia, Estados Unidos, Rússia e Nigéria. 

E tem mais uma curiosidade: são mais investidores de criptoativos do que os que investem na Bolsa de Valores do Brasil. O mercado de ações tem por volta de 4 milhões de investidores.

Volume de Investimentos

Quando se trata de volume  investido, o Brasil já não tem tanta expressividade quanto os demais países. O total investido pelos brasileiros, segundo o CoinMarketCap (monitor global), representa 2% do mercado mundial. 

Em todo o mundo, em 2021, foram investidos em criptomoedas R$ 5,4 trilhões. 

Mesmo assim, o investimento brasileiro tem um valor considerável, R$ 103,5 bilhões, um aumento de 400% em relação a 2020, afrima o CoinTrade Monitor.

Em entrevista à revista Forbes, o CEO da Digitra.com, Rodrigo Batista, analisou, positivamente, a projeção do mercado digital.

“Acreditamos que a convergência dos mercados tradicionais com o de criptomoedas é a principal tendência no Brasil e no mundo.” Disse, em referência a participação das criptos na B3.

“Outro sinal de franca expansão é a capacidade de inovação e criação de soluções e serviços no ecossistema de cripto para atrair novos investidores, tanto para adquirir criptomoedas como ativos tokenizados”, complementou.

Crescimento depende de mudança de comportamento 

Para o CEO da Arthur Mining, Ray Nasser, em entrevista à Forbes, para que haja mais investimento dos brasileiros, é preciso uma mudança de comportamento:

“O investidor médio brasileiro gosta de ser assessorado, na maioria dos casos. Ele quer que alguém dê o investimento pronto e fácil. Por isso, temos muitos esquemas ponzis, as chamadas pirâmides financeiras”.

Perfil do investidor brasileiro

Geração Z: os jovens brasileiros, com idade entre 16 e 25 anos, que fazem parte da geração Z, são os que mais investem em criptomoedas.

De acordo com o relatório “Raio X do Investidor Brasileiro”, 5% dos jovens nessa faixa etária investem em cripto ativos. 

O levantamento foi feito, em junho deste ano,  pela Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiros e Capitais).

Pelo resultado do relatório, o número de investidores é inversamente proporcional à idade. Grupos com menos idade, possuem mais investidores.

Millenials: quem tem entre  26 e 40 anos pertence à geração dos millenials e, nesse grupo, o percentual de cripto investidores é de 4%. 

Geração X: em se tratando da geração X, com idade entre 41 e 60 anos, o volume de investidores cai para 1%.

Baby boomers: Quem tem entre 61 e 75 anos e mais velhos que 76, investe bem menos em criptomoedas. É tão pouco que nem tem representação percentual na pesquisa. 

Os jovens com padrão de vida econômico mais elevado, classes A e B, investem mais, 5%. Já os da classe C, 2% e classes D e E, 1%.

Desvalorização não impede crescimento

Mesmo com uma queda de quase 60% na valorização das criptomoedas, em 2022, de acordo com a CoinMarketCap, o número de investidores brasileiros aumentou 200%, segundo a Receita Federal.

E ainda são muitos os brasileiros que estão na fase de ter pouco ou nenhum conhecimento sobre esse mercado. Esse grupo se pergunta:

Por que investir em criptomoedas?

Muitos investidores são atraídos a investir em criptomoedas porque existe uma grande possibilidade de valorização, apesar de ser um mercado frágil e de alto risco.

Eles também se interessam pela segurança, a criptografia, a transparência e a não dependência de bancos, já que não é preciso ter conta bancária para comprar moedas digitais.

Outros pontos que têm se destacado no interesse dos investidores por criptomoedas são a segurança, a criptografia, a transparência e as vantagens do sistema da blockchain.

Quais os tipos de criptomoedas?

Quando se fala em criptomoedas muitos iniciantes vão logo associar ao Bitcoin, que foi a primeira do mundo. Isso foi há 13 anos. 

E de lá pra cá, muitas outras surgiram e, atualmente, de acordo com o CoinMarketCap já são quase 20 mil. 

Pelo menos, até maio deste ano, eram, mais precisamente, 19.507. 

Elas podem estar inseridas em variados setores, como as criptomoedas tradicionais, as finanças descentralizadas (DeFi), jogos blockchain e metaverso.

As criptomoedas não param de surgir, a exemplo de três novidades, que estão em fase de pré-venda e que podem ser adquiridas a valores menores, agora:

1. Dash 2 Trade – Sinais de criptografia baseados em dados inovadores e plataforma de negociação social com token de utilitário nativo D2T

Dash 2 Trade (D2T) é um novo projeto de criptomoeda que cria uma plataforma de inteligência tudo-em-um projetada especialmente para traders e investidores. 

Desde que entrou em pré-venda em 19 de outubro, o token D2T nativo do projeto arrecadou quase US$ 6 milhões, tornando-o um dos melhores lançamentos de pré-venda de criptomoedas do ano.

O Dash 2 Trade oferece uma série de recursos projetados para ajudar a melhorar a taxa de sucesso de traders e investidores por meio de conselhos baseados em análises. 

A plataforma oferecerá um sistema de pontuação de ICO, uma API de negociação automática personalizável, um analisador de sentimento/menção social do comprador, um construtor de estratégias e backtester, bem como uma infinidade de métricas on-chain, incluindo os melhores sinais de criptografia.

Visite a pré-venda do Dash 2 Trade

2. IMPT – Projeto Revolucionário de Criptografia Verde Focado na Tokenização de Créditos de Carbono via NFTs

O IMPT é um projeto de cripto verde que visa melhorar a indústria de redução de carbono de US$ 273 bilhões, transformando créditos equivalentes à compensação de uma tonelada de carbono em NFTs. 

Esse conceito chamou a atenção de investidores focados em sustentabilidade com a pré-venda do token IMPT levantando mais de US$ 12,5 milhões em apenas algumas semanas.

Visite a pré-venda do IMPT

3. Calvaria (RIA) – O setor de jogos blockchain teve alta nos últimos 18 meses. São muitos os novos projetos e um deles é o Calvaria, que está em fase de pré-venda

É um jogo de cartas que oferece propriedades verdadeiras de ativos no jogo. Clicando aqui, você tem acesso a um artigo que fala sobre a projeção de valorização da nova criptomoeda, Calvaria.

O jogo se passa em um universo de fantasia, com três facções que lutam pelo controle. O jogador pode escolher de qual facção deseja participar e, então, começa a coletar cartas e criar o seu próprio baralho. É um jogo de cartas colecionáveis e que podem ser usadas em batalhas jogador contra jogador (PvP), para ganhar recompensas. 

Visite a pré-venda do Calvaria

Como investir em Criptomoedas?

Clicando neste arquivo, “Como investir em criptomoedas em 2022“, você saberá o passo-a-passo para investir com mais segurança.

 

 

 

 

 

---------------------