02 Ago 2022 · 2 min read

Mais de 80% dos brasileiros ​​sabem o que é criptomoeda, diz pesquisa

Source: Adobe/lazyllama

 

O conhecimento sobre criptomoedas está aumentando no Brasil, descobriu uma nova pesquisa – principalmente entre indivíduos com maior renda.

A pesquisa, divulgada pela Globo, foi realizada pelo neobanco C6, apoiado pelo JPMorgan, em conjunto com o provedor de dados Ipec. 

Foram ouvidas 2 mil pessoas em todo o país. Todos os indivíduos pertencem às classes de rendimentos A, B e C. O sistema de classes A-E é utilizado pela Secretaria de Inteligência e Assuntos Estratégicos e pela Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa, que classifica as pessoas em grupos de ganhos. O grupo mais baixo, E, ganha até o dobro do salário mínimo, com As ganhando x20 ou mais vezes o valor do salário mínimo.

A pesquisa foi realizada em julho deste ano e descobriu que 84% dos entrevistados afirmaram estar cientes dos criptoativos, com apenas 16% inseguros sobre o que eram tokens como bitcoin (BTC).

Menos de um terço dos entrevistados disseram que ainda não formaram uma opinião sobre criptomoedas, mas quase um quarto expressou interesse em investir no futuro.

Alguns disseram que já se interessaram pelo mundo das criptomoedas – embora com resultados mistos. Um por cento daqueles que disseram que já haviam mergulhado nas criptomoedas afirmaram que nunca mais comprariam tokens. E 9% dos entrevistados disseram que compraram criptomoedas e considerariam comprar mais no futuro.

Os dados também mostraram que um certo ceticismo permanece entre muitos dos indivíduos mais ricos do Brasil. Quase 20% disseram que desconfiavam de criptomoedas e nunca considerariam fazer um investimento.

Os dados também pintaram uma imagem de um típico investidor de criptomoedas. C6 e Ipec apontaram que a maioria daqueles que disseram ter comprado criptomoedas ou estavam considerando seriamente um investimento era do sexo masculino e com idade entre 25 e 44 anos.

Por outro lado, os dados mostraram que ainda existe uma lacuna de informações entre os sexos e as gerações quando se trata de conscientização sobre criptomoedas. Vinte por cento das mulheres brasileiras pesquisadas disseram não saber nada sobre criptomoedas, sendo esse número apenas 14% no caso dos homens.

Entre as pessoas com 60 anos ou mais, 27% disseram que não sabiam nada sobre BTC e afins – enquanto apenas 13% das pessoas com menos de 24 anos disseram desconhecer assuntos relacionados a criptomoedas.
___
Leia mais:

Por que o Ethereum Classic pode ser a joia de 2022

Dogecoin está indo para zero, de acordo com o painel da indústria
 

---------------------