BTC verde e bitcoin movido a carbono: as diferenças entre Nova Iorque e Quênia

Uma planta geotermal no Quênia. Fonte: Adobe/Belikova Oksana

 

Enquanto reguladores de todo o mundo trabalham para adotar posições variadas sobre mineração de criptomoedas, o estado americano de Nova York e o Quênia, país da África Oriental, oferecem dois exemplos de como os legisladores podem impedir ou promover a inovação em criptomoedas por meio de suas iniciativas.

Citando a necessidade de conter o uso de energia do estado, o Senado de Nova York aprovou um projeto de lei que introduz uma moratória em certas operações de mineração de criptomoedas com o uso de métodos de autenticação de prova de trabalho (PoW) para validar transações de blockchain. A moratória de dois anos diz respeito a quaisquer novos projetos de mineração PoW operados com o uso de combustível à base de carbono, incluindo Bitcoin (BTC) e outros criptoativos.

Depois de aprovado pelo Senado e pela Assembleia do Estado de Nova York, a câmara baixa do legislativo estadual, o projeto foi entregue ao governador de Nova York. A menos que a governadora em exercício, a democrata Kathy Hochul, vete o projeto, a expectativa é que ele entre em vigor.

O projeto de lei afirma que a "operação contínua e expandida de operações de mineração de criptomoeda executando métodos de autenticação de prova de trabalho para validar transações de blockchain aumentará muito a quantidade de uso de energia no estado de Nova York e afetará a conformidade com a regulação de proteção."

Já na África, a empresa de produção de energia do Quênia KenGen adotou uma abordagem diferente para a criptomoeda, declarando seus planos de oferecer às empresas de mineração BTC o excedente de energia geotérmica da KenGen. Isso foi projetado para ajudar os participantes do setor a atender às suas necessidades de energia, relata a Quartz.

O negócio de energia diz que, ao oferecer energia limpa, contribuirá para reduzir as emissões de carbono da mineração de criptomoedas desencadeadas pela mineração de bitcoin.

Como principal produtor de energia geotérmica da África, o Quênia tem capacidade instalada de 863 MW, maioria assegurada pela KenGen. O estado tem um potencial geotérmico estimado de aproximadamente 10.000 MW localizado ao longo do circuito do Vale do Rift, que pode ser usado para promover a mineração de criptomoeda verde por players da indústria local.

____

Leia mais:

Banco Central quer regular mercado de criptomoedas no Brasil

Grandes carteiras deixam Anchor/UST enquanto "peixes" menores mantém investimentos