Aplicativo Celular Seguro ultrapassa 12 mil alertas desde dezembro

Killian A.
| 4 min read

Lançado há pouco mais de um mês, o aplicativo Celular Seguro já ultrapassou 12 mil alertas de furto, roubo ou perda. O aplicativo é do governo federal e visa coibir o roubo dos aparelhos. Até o momento, o maior número de acionamentos foram dos estados do Rio de Janeiro e São Paulo.

Em resumo, ao acionar o aplicativo, os aparelhos são bloqueados definitivamente. Com isso, a ideia do governo é impedir ou, pelo menos, minimizar os furtos e roubos de aparelhos para revenda.

O Celular Seguro funciona no Brasil inteiro


O aplicativo funciona para atender o país inteiro. Por isso, não tem limite para cadastro de números ou restrição para localidades. No entanto, para registrar um número, ele precisa estar vinculado ao CPF de quem está registrando a ocorrência, e só assim o bloqueio do aplicativo ocorre.

Além disso, no momento do cadastro, o usuário pode indicar alguém de confiança. Essa pessoa estará autorizada a efetuar os bloqueios no caso roubo, furto ou extravio do celular do titular. O bloqueio ainda pode ser feito por meio do site oficial, com acesso pelo computador.

Tela do aplicativo celular seguro. Fonte: Google Play

O aplicativo está disponível diretamente na Play Store do seu celular para os usuários de Android e iOS. Quem usa os navegadores Google Chrome e Microsoft Edge podem fazer o cadastro no site Gov.br, usando a conta do portal.

Vale lembrar que, ao solicitar o bloqueio do celular pelo aplicativo, a ação é irreversível. Ou seja, não é possível fazer testes, bloquear e desbloquear o aparelho. Assim que lançado, vários usuários acabaram perdendo seus aparelhos por fazer os testes. A medida foi tomada para evitar que hackers e outros sistemas revertam o bloqueio, tornando o aparelho comercializável novamente.

Principais informações acerca do lançamento do aplicativo

  • As principais ocorrências registradas no aplicativo Celular Seguro são de roubo. Furto ocupa o segundo lugar e perda do aparelho o terceiro. Além disso, mais de 500 usuários acessaram o app por outros motivos.
  • O aplicativo recebeu o cadastro de mais de 1,2 milhão de usuários em apenas 2 meses desde o lançamento. Estão registrados, no total, quase 1 milhão de telefones. Ainda houve a indicação de quase 900 mil pessoas de confiança.
  • Pelo menos 23% dos usuários do aplicativo não efetuaram o cadastro de celulares. Esse percentual é menor do que o registrado no ano passado.
  • São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, Pernambuco e Minas Gerais são os estados com o maior número de registro de bloqueios.

Sobre furtos e roubos de celulares


Furtos e roubos são crimes comuns no Brasil, especialmente em estados mais populosos ou grandes centros urbanos. Furto e roubo são crimes diferentes. Nos furtos, crime descrito no artigo 155 do código penal, não há ameaça ou violência, apenas a subtração do bem. Geralmente os celulares são levados sem que o dono perceba a ação ou na rua, sem que o autor tenha muito contato com a vítima. Seja porque o furtador pegou o celular do bolso ou da mochila da vítima, seja porque passou correndo e tomou o celular da sua mão.

Já no roubo, que está descrito no artigo 157 do código penal, há o uso de violência ou ameaça para conseguir o bem. Esse crime acontece quando, para ter o celular da vítima, o autor ameaça com faca, canivete ou arma de fogo. Além disso, é comum haver violência durante a ação. Nesses casos, o roubador agride a vítima para conseguir tomar o celular.

Roubos e furtos no último ano

No último ano, mais de um milhão de ocorrências de furtos ou roubos de celular ficaram registrados em todo o Brasil. Esse número diminuiu durante a pandemia, quando a circulação ficou restrita. No entanto, os números voltaram a subir com o final das restrições.

Para se proteger as ações dos ladrões, alguns cuidados incluem:

  • Evite andar com o celular na mão em lugares de grande circulação;
  • Fique atento aos movimentos estranhos;
  • Não deixe o celular à mostra em festas de rua e shows;
  • Mantenha bolsas e sacolas próximas ao seu corpo;
  • Evite deixar senhas salvas no celular e afins.

O aplicativo pode ser uma boa saída para que seus dados não sejam vazados. Lembre-se de cadastrar uma pessoa de confiança para acionar o bloqueio do seu celular em caso de furto, perda ou roubo. Além disso, mantenha senhas de bancos e outras importantes salvas em lugares seguros. Essas senhas serão importantes caso seu aparelho não esteja em mãos.

Leia mais: