07 Set 2022 · 2 min read

World Vision se torna a primeira instituição de caridade sul-coreana a aceitar criptomoedas

O braço sul-coreano da organização de caridade World Vision anunciou que aceitará doações feitas em criptoativos – a primeira para uma ONG sul-coreana.

De acordo com o meio de comunicação EDaily, bem como Maeil Kyungjae, a instituição de caridade assinou um “acordo de cooperação blockchain” com uma startup chamada Publish. A medida permitirá que os doadores usem criptoativos para patrocinar crianças que vivem na pobreza em todo o mundo – como parte do programa “Dreaming Children” da ONG.

O programa permite que doadores na Coreia do Sul apadrinhem uma criança por meio de contribuições financeiras que a instituição de caridade distribui. O novo acordo de publicação permitirá que os detentores de criptomoedas usem seus tokens como forma de pagamento – e a startup fornecerá soluções tecnológicas que permitem à instituição de caridade converter as moedas que recebe em KRW fiduciário em tempo real.

Caridade para emitir certificados de patrocínio como NFTs

Em troca, a instituição de caridade emitirá certificados de patrocínio na forma de tokens não fungíveis (NFTs). Os doadores também participarão de um sorteio, onde o vencedor receberá um NFT especial que a instituição de caridade cunhou em associação com o astro do futebol sul-coreano Son Heung-min.

Os NFTs serão cunhados na rede blockchain Ethereum, explicaram as partes.

A World Vision é uma das maiores instituições de caridade da Coreia do Sul e sua empresa-mãe se originou como uma organização cristã evangélica nos Estados Unidos em 1950. O corpo executivo da organização está sediado no Reino Unido, embora muitos de seus principais escritórios ainda permaneçam em Monróvia, Califórnia.

O braço sul-coreano da ONG assinou seu primeiro acordo comercial com a Publish em março deste ano e anunciou na época que trabalharia na “criação de um ecossistema de plataforma de doação” compatível com as necessidades da era Web3. A empresa também anunciou sua intenção de “expandir” seus recursos de “doações baseadas em blockchain”.

-------

Leia mais:

América Latina: como está a regulamentação das criptomoedas em cada país

Analistas preveem capitulação maciça para Bitcoin

---------------------