Vem chegando o “verão cripto”,  afirma CEO da Coinext

Pedro Augusto
| 8 min read
Vem chegando o “verão cripto",  afirma CEO da Coinext
Imagem: @_notWillyWonka

Com 2023 já para trás, o qual foi repleto de reviravoltas, o mercado de criptoativos se prepara um 2024 com sentimentos mistos. O ano começou em um clima de extremo medo, evidenciado por um indicador Fear & Greed Index de apenas 26 pontos, mas terminou com uma tendência para a extrema ganância.

Este artigo irá explorar as perspectivas e tendências que podem definir o futuro do mercado de criptoativos, segundo o relatório emitido pela Coinext e pelos comentários de seu CEO, José Artur Ribeiro.

Com a aproximação do chamado “verão cripto”, o otimismo parece estar se fortalecendo, mas a necessidade de uma abordagem equilibrada e cautelosa permanece fundamental.

verão cripto

O que é o indicador de medo e ganância e como ele impacta o “verão cripto”


O gráfico de medo e ganância atua como um termômetro do mercado, refletindo o crescente entusiasmo dos investidores. Contudo, é fundamental reconhecer que a euforia excessiva pode conduzir a perdas de controle e correções abruptas.

Em ciclos de alta prolongados, é comum que o índice se mantenha acima dos 50 pontos por vários meses, indicando um otimismo duradouro.O Fear & Greed Index é uma ferramenta que integra diversas métricas. Isso inclui volatilidade, tendências de médias móveis, volume de negociações, sentimentos nas mídias sociais, dominância do Bitcoin e dados de pesquisas do Google Trends.

A combinação desses fatores oferece uma visão ampla do estado emocional do mercado, auxiliando os investidores a tomar decisões mais embasadas.

Cenário macroeconômico será essencial para fazer o “verão cripto” acontecer


No ano de 2024, o cenário macroeconômico global ganha destaque no que tange à definição das tendências de mercado, afetando inclusive o desempenho dos criptoativos. As taxas de juros, indicadores-chave na política monetária, tornaram-se o foco principal tanto de macroeconomistas quanto de agentes do mercado financeiro.

Corte nas taxas de juros dos EUA

Projeções de macroeconomistas indicam que o corte nas taxas de juros nos Estados Unidos deve ter início entre junho e setembro de 2024. Entretanto, uma análise da FEDwatch/CME mostra que uma parcela significativa do mercado, correspondendo a 86,2%, espera que os cortes comecem já em março.

Ademais, prevê-se que o conselho monetário americano reduza as taxas em cerca de 100 pontos-base até o final do ano, adotando uma postura mais dovish (flexível) com o objetivo de reaquecer a economia. Tal medida beneficiaria, teoricamente, a renda variável, o mercado de ações e, por extensão, os criptoativos.

Gráficos comparativos sobre as estimativas de juros feitas pelos membros do Federal Open Market Committee (FOMC) apontam para uma tendência de queda para 2024. A média das opiniões desses membros sugere a possibilidade de quatro cortes de juros de 25 pontos-base ao longo do ano. Essa ação poderia estimular a economia e encorajar investimentos em ativos de maior risco, como os criptoativos.As taxas de juros nos Estados Unidos são definidas após uma análise complexa que envolve fatores internos como inflação, desemprego e política. Além de elementos exógenos ligados à geopolítica global.

Atualmente, a economia americana mostra sinais de aquecimento, com redução no desemprego e uma inflação controlada. O que desafia as expectativas tradicionais da curva de Phillips, que normalmente sugere uma relação negativa entre estes dois indicadores.

Mercado norte-americano terá eleições neste ano

O ano de 2024, sendo um ano eleitoral nos EUA, traz a possibilidade de alterações na política econômica, visando a apresentar um cenário econômico favorável.

Contudo, existem incertezas, incluindo a saúde do setor de frete e a redução do balanço de ativos do governo. Estes elementos indicam uma mistura complexa de fatores que podem impactar tanto a economia tradicional quanto o mercado de criptoativos.

Para o cenário macroeconômico global em 2024, as perspectivas indicam um otimismo cauteloso, com a expectativa de reduções nas taxas de juros e uma economia potencialmente mais estimulada. Para os investidores de criptoativos, estas mudanças podem criar um ambiente propício.

No entanto, é essencial manter uma observação constante sobre os desenvolvimentos econômicos e políticos que podem influenciar o mercado. Uma “tempestade perfeita” para a valorização sustentável dos ativos pode estar se formando.

Halving do Bitcoin não tem como ficar de fora do verão cripto


À medida que o halving do Bitcoin se aproxima, faltando apenas 100 dias para o evento, o mercado se prepara para uma das mudanças mais significativas deste ativo. O halving é um mecanismo que corta pela metade a recompensa dos mineradores a cada 210.000 blocos, ou cerca de quatro anos.

Como resultado, ele reduz a oferta de novos bitcoins, criando um efeito deflacionário que pode elevar o preço do ativo devido à oferta limitada. Com cada halving, a taxa de inflação de novos bitcoins diminui, tendendo a zero por volta de 2140. Isto implica que os mineradores serão recompensados apenas pelas taxas de transação, sustentando a segurança e atividade da rede.

Halvings anteriores foram seguidos por aumentos nos preços do Bitcoin

Economicamente, a oferta programada e reduzida de bitcoins tem potencial para valorizar o ativo, sobretudo se a demanda se mantiver estável ou crescer. Historicamente, os halvings têm sido marcados por aumentos no preço do bitcoin, acompanhados de variações e períodos de volatilidade.

A escassez induzida pelo halving exige que os mineradores se tornem mais eficientes, dado que o custo para minerar cada bitcoin aumenta. Isso pode resultar na exclusão dos mineradores menos eficientes até que o hashrate da rede se ajuste.

Análises dos ciclos anteriores do bitcoin mostram padrões de preço em cada bear market, com contextos macroeconômicos, como a taxa de juros, oferecendo um panorama mais amplo para as expectativas em relação ao halving.

Atualmente, com a taxa de juros em nível elevado e expectativas de cortes, pode haver um favorecimento para investimentos em ativos de maior risco, como o Bitcoin.

Verão cripto atual é muito similar ao ciclo de 2017

Observa-se que o comportamento do preço do bitcoin em ciclos passados se alinha com as condições macroeconômicas, incluindo a taxa média de juros americana de 3,6%.

Apesar da taxa atual de 5,25% e a tendência de baixa, o cenário atual se assemelha ao ciclo de 2017. O Bitcoin, criado como uma alternativa ao sistema financeiro tradicional, ganha destaque em tempos de incerteza econômica e manipulação monetária.

Com o iminente halving em um contexto de potenciais cortes nas taxas de juros e um cenário político complexo, especialmente em anos eleitorais como 2024, o Bitcoin pode surgir como uma opção de hedge ou reserva de valor alternativa.

Análise da blockchain do Bitcoin mostra boas perspectivas para o seu futuro


À medida que damos início a 2024, torna-se essencial realizar uma análise on-chain detalhada do Bitcoin, bem como um entendimento de sua oferta, para antecipar tendências e movimentos futuros do ativo. Uma observação atenta dos dados e interpretações é fundamental para desvendar o que pode ser o próximo ciclo do Bitcoin.

Um gráfico essencial para essa análise mostra a comparação entre o preço do Bitcoin, em preto, e a quantidade de Bitcoins disponíveis no mercado à vista (Spot) em exchanges. Desde março de 2020, uma tendência de queda nas reservas tem sido constante.

Entre outubro de 2021, quando o BTC estava em US$ 60 mil, e outubro de 2023, com o BTC a US$ 30 mil, houve uma diminuição significativa de 45% nas reservas spot de BTC em exchanges.

Interessante que o preço do Bitcoin está retornando aos níveis pré-confirmação do bear market, o que pode indicar uma consolidação ou um possível movimento ascendente. Quando o preço aumenta, as reservas tendem a se manter estáveis. O que sugere que os investidores estão retendo o ativo, aguardando um retorno mínimo esperado.Outro gráfico destaca, em amarelo, a quantidade total de BTC existente, em laranja os BTCs ativos até 5 meses, e em vermelho, as moedas mais recentes de 1 mês e uma semana.

As linhas roxas representam os BTCs em exchanges no mercado futuro e o volume de negociações diárias. A diminuição da alta liquidez dos Bitcoins indica que a volatilidade e a tendência de alta no preço podem se intensificar com choques de demanda. Estes choques podem vir via ETFs, mercado varejista e eventualmente o FOMO.

Isso é bastante relevante, considerando que a oferta de Bitcoin neste ciclo de alta é 17,69% menor no Spot em comparação com 2017 e 42,18% menor que em 2020.

Enfim, qual o potencial de valorização do Bitcoin?

A performance histórica do Bitcoin e sua crescente escassez têm levado a especulações sobre o potencial de valorização deste ativo. Comparando com o aumento notável de 1580% em 2017, há questionamentos sobre a possibilidade de o Bitcoin atingir cerca de US$ 200 mil por unidade no ciclo atual.

Um fator potencialmente transformador no ecossistema cripto é a introdução dos ETFs de Bitcoin, os quais já foram aprovados. A expectativa é que a intermediação por stablecoins diminua, favorecendo um fluxo mais direto de investimento em Bitcoin e, em seguida, em altcoins.

Por fim, essa mudança poderia consolidar a posição do Bitcoin como uma “impressora cripto”, atraindo investimentos diretamente, sem a necessidade de intermediários como as stablecoins.

Leia mais: